Livro sobre mil anos de história do castelo de Penedono lançado no domingo

João Ferreira da Fonseca é historiador, professor de História do ensino secundário e autor de vários artigos em revistas de História.

O historiador João Ferreira da Fonseca lança no domingo um livro sobre os mil anos de história do castelo de Penedono, situado no norte do distrito de Viseu, mostrando como era a sua estrutura no século XII.

Quartzo Editora que editou a obra juntamente com o município de Penedono refere que no estudo feito pelo historiador João Ferreira da Fonseca “é revelado como era o castelo no século XII, antes do acrescento posterior, através do alteamento da estrutura original, que não é perceptível ao visitante a olho nu”.

A autarquia entendeu ser necessário "um estudo monográfico científico, dedicado ao maior monumento do concelho", mas que se destinasse ao público em geral, "assumindo-o como um meio essencial para cumprir o objectivo de aproximar o monumento aos seus munícipes e aos milhares de visitantes". "Indissociável da figura do cavaleiro-andante de Álvaro Gonçalves Coutinho, o Magriço, o castelo de Penedono não possuía até ao momento nenhum estudo historiográfico, não obstante o reconhecimento e as recomendações de diversas organizações, algumas governamentais, para que tal fosse realizado", explica a editora.

A obra "Castelo de Penedono - mil anos de história" vem agora preencher essa antiga lacuna. "Com esta obra, Penedono afirma-se cada vez mais como uma comunidade em constante desenvolvimento, ciente da enorme importância que a História possui na vontade em se afirmar como destino turístico cultural de qualidade no espaço do Douro Sul", acrescenta.

Para a sua realização, o autor João Ferreira da Fonseca teve como principal objectivo retirar da documentação existente, muito dispersa pelos arquivos nacionais, o máximo de informação possível que permitisse conhecer e melhor compreender aquele que é considerado o castelo mais bem conservado do distrito de Viseu. "Fundado há mais de mil anos, é o testemunho da sua ancestralidade, das suas lutas e das suas vitórias. E, vitorioso, ali se mantém, lembrando aos homens que as memórias crescem com eles, enlaçando-os até os suplantar no fim da sua vida", refere o autor, na introdução da obra.

Segundo João Ferreira da Fonseca, o castelo "é o ex-líbris da História de Penedono, um símbolo da verdade dos penedonenses que demanda ser conhecido, sobretudo por ser insígnia da credibilidade do seu vetusto povo, de raízes mais antigas que a própria nacionalidade".

João Ferreira da Fonseca é historiador e professor de História do ensino secundário. Já publicou "Álvaro Gonçalves Coutinho, o Magriço. O Cavaleiro e o seu tempo" e é autor de vários artigos em revistas de História.