Revelados os primeiros nomes para a festa do fado que é o Caixa Alfama

Ricardo Ribeiro, Carminho, Pedro Moutinho, Katia Guerreiro e Sara Correia estarão entre os 40 fadistas que ouviremos dias 19 e 20 de Setembro.

Ricardo Ribeiro, autor de um dos concertos mais celebrados do primeiro Caixa Alfama, é um dos primeiros cinco fadistas confirmados para o festival
Foto
Ricardo Ribeiro, autor de um dos concertos mais celebrados do primeiro Caixa Alfama, é um dos primeiros cinco fadistas confirmados para o festival DR

Em Setembro, o fado encherá novamente todos os recantos de Alfama. É certo que a canção lisboeta já marca diariamente o viver do bairro, mas enquanto celebração em forma de festival que enche igrejas, largos ou associações, estreou-se o ano passado. Em 2013, dez mil pessoas passaram pelo Caixa Alfama para ouvir Camané, Ana Moura, António Zambujo, Aldina Duarte, Cuca Roseta ou Gisela João.

Este ano, dias 19 e 20 de Setembro, é certo que ali ouviremos Carminho, Pedro Moutinho, Katia Guerreiro, Sara Correia, fadista de Alfama que é apresentada como grande promessa, e Ricardo Ribeiro, que repete presença mas, este ano, no palco principal do festival. São estes os primeiros dos 40 nomes que comporão o cartaz, revelados quarta-feira ao início da tarde durante a apresentação do Caixa Alfama '14 no Museu do Fado, em Lisboa.

Foi Luís Montez, da promotora Música no Coração, que apresentou os primeiros cinco nomes confirmados, adiantando ainda que o festival contará com um tributo, não sendo por agora revelado a quem será dedicado, e com um concerto fadista de uma cantora pop, igualmente por revelar. Os restantes músicos participantes no festival, afirmou, começarão a ser confirmados nas próximas semanas. Tal como o ano passado, o Caixa Alfama contará com 40 nomes em cartaz.

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, também presente, destacou que o festival é “uma grande forma de conhecer Alfama”. Não necessariamente a Alfama do circuito dos Santos Populares, precisou, mas “outra Alfama”, a do interior de edifícios, como o das Igrejas de São Miguel e Santo Estevão, da Sociedade Boa União, do Centro Cultural Dr. Magalhães Lima ou do Grupo Sportivo Adicense. Será nesses locais, a que se juntam, por exemplo, o Largo das Alcaçarias, Museu do Fado e Palco Caixa, que decorrerá o festival.

Já após a apresentação, que incluiu uma curta actuação de Sara Correia, Ricardo Ribeiro recordou ao PÚBLICO “a sensação de partilha, com as pessoas andando de sala em sala para ver os fadistas”, que viveu na primeira edição do festival. Protagonista de um dos concertos então mais celebrados, o fadista de Largo da Memória referiu que se vive ali uma “dicotomia entre o ambiente de festival, com uma certa histeria, perdoe-se a expressão, e o ambiente do fado: quando as pessoas ouvem, ouvem em silêncio”. Aquilo que algo como o Caixa Alfama tem de mais valioso, considera, reside no “ajudar a chamar mais gente que não segue [o fado] tão de perto”, servindo também como "alavanca" para o aparecimento "de mais Saras Correias”. Ele próprio, acentua, surgiu naquela que pode ser vista, de certa forma, como “antecessora do festival", a Grande Noite do Fado, "em que se ouviam fadistas atrás de fadistas até às tantas da manhã”.

Os bilhetes para o festival já estão à venda nos locais habituais, ao preço de 35 euros.