Ministro Miguel Macedo anuncia admissões na PSP e GNR em 2014

Ministro da Administração Interna está a ser ouvido no Parlamento, no âmbito da discussão do orçamento de Estado na especialidade.

Foto

O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, anunciou esta sexta-feira a intenção de admitir, no próximo ano, 100 agentes para a PSP e 400 militares para a GNR.

A informação foi dada aos deputados na intervenção inicial do ministro na audição parlamentar sobre a proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014. Numa breve referência sobre as admissões, Miguel Macedo referiu que o despacho para a PSP já está assinado e existirão dois períodos de formação para 200 militares da GNR e para outros 200.

“Mesmo num ano como 2014 vamos continuar a proceder à admissão de forças de segurança”, afirmou.

Em relação ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, o ministro adiantou já ter nas mãos o “parecer favorável” para recrutamento interno para novos inspectores.

Em traços gerais, Miguel Macedo definiu o orçamento do ministério que tutela como “de grande exigência” e que “vai obrigar a grande rigor”, embora “não comprometa a capacidade operacional das forças de segurança”.

Referindo que o ministério vai continuar “a aposta na maior visibilidade das forças de segurança”, o ministro garantiu que “Portugal continua a ser um país seguro” e prova disso é o facto de 2013 ter sido “o melhor ano turístico de sempre”.

O deputado socialista Luís Pita Ameixa questionou o ministro sobre qual a dotação orçamental para a proposta de referendo do PSD sobre a adopção gay e co-adopção, apresentada na Assembleia da República. Miguel Macedo respondeu que “para a realização de eleições com referendos não há nem nunca houve verba no orçamento”. “É sempre por dotação provisional do Ministério das Finanças, sempre foi assim”, acrescentou.