Pierre Lemaitre vence prémio Goncourt

Au revoir là-haut, um romance histórico situado na primeira guerra mundial, convenceu o júri do mais prestigiado prémio literário francês, mas só à 12ª ronda.

Foto
Pierre Lemaitre com o cheque de dez euros na mão AFP PHOTO / ERIC FEFERBERG

O prémio Goncourt foi atribuído esta segunda-feira ao romance Au revoir là-haut , de Pierre Lemaitre, um autor de 62 anos com prestígio consolidado no domínio da ficção policial.

Nesta sua primeira incursão no romance histórico, Lemaitre situou a acção na primeira guerra mundial e escolheu como protagonistas dois jovens soldados, Albert e Édouard, sacrificados por um oficial ambicioso e cínico.

Criado há 110 anos, em 1903, a actual dotação pecuniária do Goncourt não é propriamente exorbitante : o vencedor recebe apenas uma nota de dez euros. Mas o prestígio do prémio tem uma influência considerável nas vendas dos livros. Os premiados dos últimos anos têm vendido uma média de 400 mil exemplares, cerca de cinquenta vezes a tiragem média de um romance em França.

O júri, presidido por Edmonde Charles-Roux,preferiu Au revoir là-haut aos três restantes finalistas desta edição de 2013: Nue, de Jean-Philippe Toussaint, L'invention de nos vies, de Karine Tuil, e Arden, primeiro romance de Frédéric Verger. E o rival mais difícil de bater foi mesmo o estreante : só à 12ª votação é que o desempate se desfez e o livro de Lemaitre ganhou, com seis votos contra quatro.

Antes de se abalançar a escrever esta extensa ficção histórica – editado pela Albin Michel, o livro tem quase 600 páginas –, Pierre Lemaitre, admirador confesso de Alexandre Dumas, era já autor de vários romances policiais, traduzidos em mais de vinte países.