Japan Airlines e Airbus celebram acordo histórico

Companhia europeia assina encomenda e pisa terreno até agora da Boeing.

Foto
Segundo a Airbus, três companhias chinesas recusam-se a finalizar as ordens de encomenda de 45 Airbus A330 Romeo Gacad/AFP

O Financial Times escreve que este é um duro golpe para a Boeing, responsável, até agora, pelo fabrico de 78% da frota de 214 aparelhos da companhia aérea nipónica.

A Japan Airlines fica ainda com a opção de compra de mais 25 aeronaves. O mesmo jornal lembra que este é o segundo revés, nas últimas semanas, para a americana Boeing, depois de a Coreia do Sul ter adiado uma decisão sobre a encomenda de uma nova frota de caças, negócio que chegaria aos 8 mil milhões de dólares.

A Boeing é o maior fornecedor da All Nipon Airways, a principal concorrente da JAL, tendo fabricado 81% da sua frota. A escolha da companhia europeia segue-se depois de terem sido detectados problemas nas baterias do Boeing 787 Dreamliner e as entregas adiadas. No entanto, o presidente da JAL, Yoshiaru Ueki, citado pelo Wall Street Journal, já negou que tal tenha pesado na opção pela Airbus.

Para a Airbus, este negócio resulta no reforço da posição asiática, depois de ter garantido acordos de 13 mil milhões de dólares com duas companhias chinesas, uma operadora vietnamita e uma empresa sediada em Singapura. Estima-se que este continente seja a principal fonte de encomendas da indústria aeronáutica durante as duas décadas seguintes.