EUA a um passo de se tornarem o maior produtor mundial de petróleo e gás

Produção de 25 milhões de barris por dia deverá ultrapassar, este ano, o volume produzido na Rússia.

Uma exploração de petróleo em Watford City, Dacota do Norte, nos EUA
Foto
Uma exploração de petróleo em Watford City, Dacota do Norte, nos EUA Andrew Burton/Getty Images/AFP

A subida de posição norte-americana acontece graças ao impulso do aumento de produção em várias explorações petrolíferas nos últimos anos, que permitiram aos Estados Unidos ganhar terreno à Rússia na aplicação de alguns avanços tecnológicos, sublinha o The Wall Street Journal.

As importações norte-americanas de petróleo recuaram 15% em cinco anos e a compra ao estrangeiro de gás natural diminuiu ainda mais (32%).

Segundo uma nota que a Administração norte-americana divulgou nesta sexta-feira, o crescimento da produção beneficiou da aplicação de novas técnicas de perfuração (a perfuração horizontal e a fracturação hidráulica), contribuindo para um aumento mais expressivo no volume de petróleo e gás natural produzido no Texas e no Dacota do Norte.

Ainda antes de estas projecções serem oficiais, o responsável da Administração de Informação sobre Energia, Adam Sieminski, classificava a subida de posição dos EUA como um “movimento inacreditável”. E ao The Wall Street Journal referiu-se à criação de novas condições de mercado nos últimos anos que permitiram ganhar terreno à Rússia.

Os EUA já tinham extraído, pela primeira vez em 20 anos, mais gás natural do que a Rússia. Em conjunto, a produção de petróleo e gás natural ficava já muito próxima entre os dois países.

Agora, é esperado que os EUA atinjam uma produção diária de 25 milhões de barris por dia, enquanto na Rússia deverão ser produzidos 22 milhões de barris este ano, adianta o The Guardian.