FBI fecha site de drogas e apreende milhões em bitcoins

Documento das autoridades detalha contratação de um assassino a soldo, para matar uma pessoa que ameaçava expor informação sobre os utilizadores.

A divisa ganhou popularidade sobretudo este ano
Foto
O FBI apreendeu 26 mil bitcoins. Na imagem, uma representação da moeda virtual Casascius

O FBI encerrou um site chamado Silk Road, onde era possível comprar vários tipos de droga, numa operação em que também foram apreendidas 26 mil bitcoins, a moeda virtual que era usada nas transacções, num valor a rondar os 2,4 milhões de euros.

O fundador do site, um homem chamado Ross William Ulbrich, foi detido nesta quarta-feira e acusado de narcotráfico, lavagem de dinheiro, fraude informática e ainda de ter contratado o assassinato de um utilizador do site, que estava a ameaçar revelar a identidade de outros utilizadores, caso não recebesse meio milhão de dólares em 72 horas.

Os vendedores e compradores que usavam o Silk Road eram anónimos. O site só estava acessível a partir de uma ferramenta chamada Tor, que permite a navegação sob anonimato. Além disso, comunicavam através de ferramentas que permitem a troca de mensagens com encriptação e faziam as transacções em bitcoins, uma moeda virtual não centralizada, que funciona num sistema automático.

O documento do FBI explica que Ulbrich, também conhecido por "Dread Pirate Roberts", tem 29 anos e terminou em 2006 uma licenciatura em Física na Universidade do Texas. As autoridades americanas chegaram a Ulbrich depois de, numa operação de rotina, terem interceptado na fronteira com o México falsos documentos de identificação, que estavam a ser enviados para um morada em São Francisco, na Califórnia. A polícia encontrou Ulbrich no endereço de destino dos documentos.

Em Julho, as autoridades conseguiram identificar e copiar os conteúdos guardados num dos servidores do Silk Road, o que lhes permitiu ter acesso a informação sobre o funcionamento do site. O FBI explica que o site era usado em vários países e tinha cerca de 950 mil contas registadas, embora ressalve que esse não é necessariamente o número de utilizadores (por comparação, o Facebook tinha, em Junho, 819 milhões de utilizadores mensais).

O documento também detalha as trocas de mensagens, ocorrida em Março deste ano, entre "Dread Pirate Roberts" e um assassino a soldo, que usava o nome "redandwhite". O fundador do site expõem a chantagem a que está a ser sujeito e pede um preço: “Qual seria a quantia adequada para te motivar a encontrá-lo?”. O interlocutor responde com um preço que pode ir dos 150 mil aos 300 mil dólares, dependendo de o serviço ser “limpo” ou não. Ulbrich responde: “Não quero ser chato, mas o preço parece alto. Há pouco tempo, tive um serviço limpo feito por 80 mil dólares. Os preços que deste são o melhor que podes fazer? Gostava de ter isto feito assim que possível, porque ele está a falar em libertar a informação na segunda-feira”.

No dia seguinte, os dois acabam por acordar um preço um preço de 1670 bitcoins, que o documento do FBI converte para 150 mil dólares. O valor das bitcoins flutua muito e, ao preço desta quarta-feira, seriam mais de 200 mil dólares, ou 147 mil euros.

De acordo com o relato das autoridades, cerca de 24 horas depois de o pagamento ser feito, "redandwhite" escreve uma mensagem a Ulbrich : “O teu problema foi resolvido. Fica descansado, porque ele não vai chantagear mais ninguém. Nunca mais.” Mais tarde, "redandwhite" enviou ao fundador do site uma fotografia da vítima, onde é visível um papel com números que tinha sido dado por Ulbrich para poder comprovar a veracidade da fotografia.

Artigo corrigido às 21h57: por lapso, o primeiro parágrafo referia o valor de 2400 milhões de euros. São 2,4 milhões.