Candidato do PSD quer comboio em Viseu com ligação a Aveiro e à linha da Beira Alta

Almeida Henriques lembra que próximo quadro comunitário é oportunidade única para Viseu ter comboio.

Almeida Henriques pretende concluir reprogramação até ao final do semestre
Foto
O candidato do PSD a Viseu recebeu ontem o apoio de Sérgio Monteiro, actual secretário de Estado dos Transportes, e hoje do presidente cessante, Fernando Ruas. Rui Gaudêncio

O candidato do PSD à autarquia viseense, Almeida Henriques, defendeu esta terça-feira que o próximo quadro comunitário de apoio é “crucial” para o concelho de Viseu ficar ligado à rede ferroviária.

“Viseu como capital da Beira Alta tem obrigatoriamente de ter o comboio a passar por aqui ”, sustentou, avisando que os fundos comunitários para o período 2014-2020 são “o único instrumento que Portugal tem para fazer investimento”. “Nós vamos ter de aproveitar bem para que Viseu fique dotado das infra-estruturas que ainda faltam, entre elas uma das mais cruciais que é uma linha ferroviária”, disse.

Para Almeida Henriques, Viseu deverá ficar com ligação à linha da Beira Alta e a Aveiro. “Temos uma localização privilegiada. Estamos bem servidos do ponto de vista rodoviário, agora é  importante ambicionar ir mais longe e, por isso, a linha ferroviária é absolutamente crítica”. Neste contexto, anunciou que esta é uma “linha de exigência” do trabalho que tem vindo a desenvolver com o secretário de Estado dos Transportes, governante que faz parte da comissão de honra da candidatura de Almeida Henriques. “Ainda na deslocação que fez a Viseu na segunda-feira, reafirmava que a aposta deve ser na ferrovia”, frisou.

Viseu teve comboio até ao início da década dos anos 90, altura em que foram desactivadas as linhas do Dão e do Vouga. Este meio de transporte é uma reivindicação antiga da população. Nos últimos anos esteve em cima da mesa a promessa de uma linha de TGVque ligaria Aveiro/Viseu/Vilar Formoso, mas acabou por deixar de ser uma prioridade.

Agora, Almeida Henriques assume que o comboio é essencial para “criar riqueza e captar investimento” e recordou que se trata de uma infra-estrutura essencial para ser criada no município uma plataforma logística, onde o aeródromo municipal terá também “um importante papel a desempenhar”. “Esta plataforma iria potenciar a ligação ferroviária e as acessibilidades rodoviárias, nomeadamente a que venha a ser criada a sul (ligação de Viseu a Coimbra por auto-estrada)”, lembrou durante uma visita, na segunda-feira, ao aeródromo onde estiveram presentes o secretário de Estado das Obras Públicas e Transportes, Sérgio Monteiro, Eduardo Rangel (operadores logísticos do país) e empresários da região.

Ruas ajudou na campanha

Se na segunda-feira o candidato foi acompanhado, no evento de campanha, pelo secretário de Estado dos Transportes enquanto membro da sua comissão de honra, e alguns empresários; as acções de hoje contaram com a presença de Fernando Ruas, actual presidente da Câmara. Os candidatos e o autarca estiveram às primeiras horas do dia na feira semanal, seguindo depois, em arruada, para o Rossio, no centro de Viseu. Pelo caminho, a comitiva foi distribuindo canetas e autocolantese cantando “nós só queremos Almeida a presidente”.