Pinamonti volta ao São Carlos sete anos após saída polémica

Pinamonti será responsável pela programação e Joana Carneiro maestrina titular da OSP. Nenhum director foi anunciado.

Foto
Pinamonti regressa ao S. Carlos em 2014 Rui Gaudêncio

O musicólogo italiano Paolo Pinamonti e a maestrina portuguesa Joana Carneiro assumem funções no Teatro Nacional de São Carlos a 1 de Janeiro, ocupando, respectivamente, os cargos de responsável de programação e de maestrina titular da Orquestra Sinfónica Portuguesa.

Segundo o comunicado que a Secretaria de Estado da Cultura (SEC) enviou nesta sexta-feira ao fim da tarde à imprensa, Pinamonti manterá o seu cargo como director artístico do Teatro da Zarzuela, em Madrid, assumindo a programação do São Carlos apenas como consultor, mas reatando, apesar de tudo, laços com a instituição de que foi director artístico entre 2001 e 2007, tendo saído em ruptura com o então secretário de Estado da Cultura, Mário Vieira de Carvalho. Segundo uma notícia avançada pelo jornal Expresso pouco antes do comunicado, Joana Carneiro abandonará a sua colaboração com a Orquestra Gulbenkian.

A notícia do Expresso, que parte de uma entrevista ao secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, não avança qualquer nome para a direcção artística do teatro, que tem esse vazio por preencher desde dia 31 de Julho, quando terminou o mandato de Martin André, que acumulava funções como responsável pela orquestra. O comunicado da SEC não faz também qualquer alusão à direcção, dizendo apenas que Pinamonti “terá a responsabilidade da definição da programação para 2014 e temporadas seguintes” e acrescentando que “a programação do primeiro semestre de 2014 será apresentada no fim de Novembro” por Pinamonti e Joana Carneiro.

Com um corte de 72% nos orçamentos de 2012 e 2013, o São Carlos apresentou no final de Junho aquilo a que chamou a sua “programação de Outono-Inverno”, a abrir na semana passada com um concerto coral-sinfónico de homenagem ao compositor francês François Poulenc, e uma temporada lírica composta por Il cappello di paglia de Firenze, de Nino Rota, com direcção musical de João Paulo Santos e encenação de Fernando Gomes (quatro récitas em Outubro) e Le Fille du Régiment, de Donizetti, com direcção musical de Rui Pinheiro e encenação de Mário Redondo (quatro récitas em Novembro).

No comunicado desta sexta-feira, a SEC faz saber “que se pretende retomar as apresentações das temporadas completas a partir da temporada de Setembro 2014/Julho 2015”. O mesmo comunicado avança ainda que Luísa Taveira é reconduzida como directora artística da Companhia Nacional de Bailado, devendo a CNB apresentar em Outubro a sua programação do próximo ano, um mês passado já sobre o arranque tradicional das temporadas, em Setembro.  

Notícia corrigida às 17h15 de 22 de Setembro: Paolo Pinamonti não é maestro, mas programador e musicólogo.