Torne-se perito

Google Glass usados para transmissão em directo de cirurgias

Estudantes de medicina puderam ver operações do ponto de vista do cirurgião.

Um funcionário do Google usa os Glass, que ainda não estão à venda
Foto
Um funcionário do Google usa os Glass, que ainda não estão à venda BENOIT DOPPAGNE/AFP

Um cirurgião em Espanha e outro na Índia usaram os óculos Google Glass para transmitir em directo cirurgias para centenas de hospitais e universidades em todo o mundo, onde foram acompanhadas por outros médicos e por estudantes.

“Como cirurgião, nunca poderia aceder a toda a informação disponível sobre a cirurgia dentro da sala de operações e é também um benefício para os estudantes de medicina, que podem assistir a uma cirurgia em directo nos ecrãs de computador em qualquer ponto do mundo”, notou o médico indiano J.S. Rajkumar, citado pelo jornal Hindustan Times, acrescentando ainda que “cirurgiões peritos podem conduzir outros cirurgiões durante uma operação complicada”.

Na Índia, foram transmitidas em directo duas operações: uma para solucionar um problema gástrico, outra a uma hérnia. Em Madrid, o cirurgião operou nesta terça-feira o joelho de um homem de 37 anos, numa clínica. As transmissões contaram com a parceria do Google, que está a desenvolver os óculos mas que ainda não os está a comercializar.

O aparelho tem uma câmara que pode captar imagens e um projector que permite sobrepor imagens digitais àquilo que o utilizador está a ver. As aplicações são várias. Por exemplo, seria possível estar a andar na rua e fazer com que os Google Glass mostrassem um mapa e exibissem direcções para o local onde para onde o utilizador se quer dirigir, ou aceder a informação sobre um restaurante ou monumento que o utilizador tenha à frente.

“Passámos dos aquários das salas de operações antigas [cujas paredes transparentes permitiam aos alunos de medicina seguir a cirurgia] para isto”, observou o cirurgião espanhol, citado pelo El País. Na sala de operações, o médico respondeu a questões de estudantes de três universidades seleccionadas, uma americana, uma japonesa e uma suíça.



Sugerir correcção