ONU diz que há provas "esmagadoras" do uso de armas químicas na Síria

Ban Ki-moon não fala sobre responsabilidades, mas acusa Assad de cometer "vários crimes contra a humanidade".

Foto
O relatório deverá ser apresentado na próxima segunda-feira Mohamed Abdullah/Reuters

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse esta sexta-feira que o relatório dos peritos da organização vai provar de forma "esmagadora" que foram usadas armas químicas na Síria, mas escusou-se a avançar se o documento incluirá qualquer indício que aponte para a responsabilidade do ataque de 21 de Agosto nos arredores de Damasco.

O relatório, que deverá ser apresentado na próxima segunda-feira, nunca teve como objectivo determinar se foram as forças de Bashar al-Assad ou os combatentes da oposição quem lançou as armas químicas, mas apenas determinar se estas foram efectivamente usadas. 

Na mesma declaração, o secretário-geral afirmou ainda que o regime sírio "cometeu vários crimes contra a humanidade".

Segundo a BBC, Ban Ki-moon não se terá apercebido de que as suas palavras estavam a ser transmitidas, durante uma reunião na ONU.

A declaração do responsável foi citada na íntegra pela agência Reuters: "Acredito que o relatório será esmagador em relação ao uso de armas químicas, apesar de eu não poder afirmá-lo publicamente antes de o receber."

O líder da equipa da ONU que esteve na Síria, o sueco Ake Sellstrom, confirmou ontem que o relatório já está concluído.