Papa Francisco marca dia de jejum e oração pela paz na Síria

No próximo sábado, 7 de Setembro, Francisco estará na Praça de S. Pedro para "pedir a Deus a dádiva da paz".

Foto
O dia de jejum e oração está marcado para o próximo sábado, dia 7 VINCENZO PINTO/AFP

O Papa Francisco apelou aos fiéis de todas as religiões e a "todas as pessoas de boa vontade" que dediquem um dia de jejum e oração em nome da paz na Síria, no próximo sábado, 7 de Setembro.

Perante dezenas de milhares de pessoas que se juntaram neste domingo na Praça de S. Pedro, no Vaticano, para assistirem à tradicional oração do Angelus, Francisco condenou o uso de armas químicas na Síria, mas foi peremptório no caminho que não deve ser seguido: "Guerra, nunca mais."

"A violência nunca gera paz. A guerra gera guerra, a violência gera violência", declarou o Papa.

Para além do apelo ao jejum e à oração no dia 7 – lançado aos católicos, mas também a todos os cristãos não-católicos, a todos os crentes não-cristãos e a "todas as pessoas de boa vontade" –, o Papa anunciou que estará na Praça de S. Pedro no próximo sábado, entre as 19h e as 24h, para "rezar, num espírito de penitência, para pedir a Deus esta dádiva [da paz] para a amada Síria e para todas as situações de conflito e de violência no mundo".

A resposta às acusações de uso de armas químicas na Síria, segundo o Papa Francisco, deve chegar através de "diálogo e negociações". "A humanidade precisa de ver gestos de paz e de ouvir palavras de esperança e de paz", concluiu.

Sugerir correcção