Estudantes do MIT criam sistema de choques para evitar o Facebook

A ideia surgiu porque os dois investigadores descobriram que, juntos, desperdiçavam mais de 50 horas por semana no Facebook quando tinham as respectivas teses de doutoramento para escrever.

Imagem de um vídeo que mostra o funcionamento do Pavlov Poke
Foto
Imagem de um vídeo que mostra o funcionamento do Pavlov Poke Robert R. Morris e Dan McDuff

O problema é conhecido de muitos dos que trabalham em frente a um computador: as visitas mais do que frequentes ao Facebook, ao Twitter ou ao email podem ter efeitos devastadores na produtividade. Preocupados com o número de vezes que iam ao Facebook, dois investigadores do MIT criaram um sistema que dá pequenos choques quando o utilizador visita muitas vezes aquela rede social.

Apropriadamente chamado Pavlov Poke, o sistema pode ser adaptado a outros sites para além do Facebook e está sucintamente descrito nesta página. Essencialmente, uma aplicação detecta quando o utilizador visita repetidamente um site e activa um circuito que dá um pequeno choque na mão do utilizador, através de placas metálicas colocadas numa peça de apoio ao teclado do computador.

“O choque não é perigoso (achamos nós), mas é definitivamente mau o suficiente para chamar a atenção”, escreveu Robert Morris, um dos estudantes. “Funcionou? Não temos a certeza. Para ser verdadeiramente eficaz, provavelmente são precisas muitas exposições aos choques. Infelizmente, achámos que os choques eram tão aversivos que removemos o dispositivo pouco depois de o termos instalado”.

A dupla inventou também uma alternativa menos dolorosa, recorrendo a um site da Amazon chamado Mechanical Turk, onde é possível colocar vários tipos de tarefas que podem ser escolhidas e feitas por outras pessoas mediante um pagamento.

Neste caso, em vez do choque, quando o Facebook era usado demasiadas vezes, o sistema colocava automaticamente uma tarefa no Mechanical Turk para que alguém ligasse para o telemóvel do utilizador a gritar por este estar na rede social.

"É claro que isto é suposto ser uma piada", nota Morris num vídeo em que exibem o funcionamento do dispositivo.

A ideia surgiu porque os dois investigadores descobriram que, juntos, desperdiçavam mais de 50 horas por semana no Facebook quando tinham as respectivas teses de doutoramento para escrever. A página não especifica quanto tempo gastaram a desenvolver o Pavlov Poke.