Gestor milionário multado em 18 milhões de dólares por uso indevido de fundos

Regulador do mercado de capitais norte-americano aplica coima contra Philip Falcone, o 377.º mais ricos dos EUA.

Foto
O fundo de Falcone ficou conhecido por acumular altas rentabilidades antes da crise do subprime Steve Marcus/Reuters

O milionário norte-americano Philip Falcone, acusado pela Securities and Exchange Commission (comissão de valores mobiliários dos EUA) de uso indevido de fundos enquanto gestor do hedge fund Harbinger Capital Partners, vai ficar impedido de exercer actividade durante cinco anos.

De acordo com a decisão que a SEC anunciou na segunda-feira, Falcone e a Harbinger Capital Partners terão, em conjunto, de pagar uma multa de 18 milhões de dólares (cerca de 13,4 milhões de euros). A maior fatia da coima sairá dos bolsos do gestor, que ficou na mira das autoridades norte-americanas sob a suspeita de ter usado 113 milhões de dólares em activos daquele fundo de investimento, detido por Falcone, para pagar os próprios impostos.

Com uma fortuna avaliada em 1200 milhões de dólares, o gestor surge na lista dos mais ricos do mundo da revista Forbes, aparecendo, na edição deste ano, na posição 1175 a nível mundial e em 377.º entre as maiores fortunas dos Estados Unidos.

O fundo de investimento de Falcone, um hedge fund, ficou conhecido por acumular altas rentabilidades antes da crise do subprime, ao apostar em produtos de crédito de alto risco que lhe permitiam retornos que chegavam aos 65%.

A SEC rejeitou, em Maio, um primeiro acordo com Falcone e a Harbinger Capital Partners, tendo agora anunciado uma decisão final sobre o caso depois de o gestor admitir que cometeu “vários actos” que interferiram “com o normal funcionamento dos mercados” e com consequências para os investidores do fundo.

Ao impedir o gestor de exercer actividade, a decisão da SEC obriga também à liquidação da Harbinger Capital Partners sob supervisão independente.

Um hedge fund, como o de Falcone, é um fundo de investimento que tem regulamentações menos restritivas e maior liberdade para aplicar as estratégias de investimento e os vários instrumentos financeiros junto dos investidores.