NASA desiste de reparar telescópio Kepler

Missão para descobrir planetas como a Terra noutros sistemas solares chega ao fim.

Telescópio encontrou pelo menos 135 exoplanetas
Foto
Telescópio encontrou pelo menos 135 exoplanetas NASA

A NASA anunciou esta quinta-feira que desistiu de reparar o telescópio espacial Kepler, dedicado à procura de planetas com condições parecidas às da Terra noutros sistemas solares. O telescópio poderá, no entanto, ser utilizado noutras missões.

Duas das quatro peças que permitem ao telescópio apontar para uma direcção precisa deixaram de funcionar – a primeira em Julho de 2012 e a segunda em Maio passado.

Todas as tentativas de reparação foram em vão, disseram responsáveis da agência espacial norte-americana, numa conferência de imprensa. O Kepler precisa de pelo menos três destas peças – que são uma espécie de giroscópio – para poder executar a sua missão principal.

O telescópio foi lançado em 2009 para observar, durante pelo menos quatro anos, mais de 100.000 estrelas como o nosso Sol. Os dados dos dois primeiros anos da missão permitiram confirmar a existência de 135 exoplanetas – planetas que estão fora do nosso sistema solar – e identificar mais 3500 candidatos.

O objectivo da NASA era encontrar planetas que estão a uma distância do seu respectivo sol compatível com a existência de água em estado líquido. “O Kepler fez descobertas extraordinárias, incluindo vários exoplanetas maiores do que a Terra situados na zona habitável”, afirma John Grunsfeld, director-geral adjunto da NASA responsável pelas missões científicas. “As descobertas mais interessantes virão nos próximos anos, com a análise de todos os dados”, disse William Borucki, cientista principal da missão.

O telescópio poderá ainda ser útil para outros programas científicos, incluindo potencialmente a investigação sobre asteróides e mesmo sobre certos exoplanetas.