Clima económico voltou a melhorar em Julho

Valores estão ainda perto dos mínimos, mas registam tendência de subida

Consumo de marcas da distribuição aumentou com a crise
Foto
Consumo abrandou no segundo trimestre paulo pimenta

Os indicadores de confiança dos consumidores e empresários portugueses mantiveram, durante o mês de Julho, uma tendência de subida.

De acordo com os dados publicados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o índice de confiança dos consumidores passou de -52,1 pontos para -50,9 pontos. Foi a segunda subida consecutiva, colocando este indicador ao nível mais alto dos últimos 11 meses.

Ainda assim, a confiança dos consumidores portugueses ainda se mantém a níveis historicamente muito baixos e relativamente perto do mínimo de -61,1 pontos registado em Outubro do ano passado. A média dos últimos 23 anos é de -26,6 pontos.

Em relação ao índice de clima económico, que agrega as perspectivas dos empresários da indústria, serviços, comércio e construção, manteve-se também em Julho uma tendência positiva. Pelos sétimo mês consecutivo, registou-se uma melhoria do indicador que passou de -2,9 pontos em Junho para -2,6 pontos. Este é o melhor resultado desde Setembro de 2011. Mais uma vez, apesar da melhoria, o resultado actual fica claramente abaixo da média histórica e ainda relativamente próximo dos mínimos.

Por sectores, em Julho, registou-se uma melhoria do indicador de confiança na indústria e no comércio a retalho, com uma deterioração no comércio por grosso, construção e serviços.

Na zona euro, de acordo com dados também publicados esta terça-feira pela Comissão Europeia, registou-se uma melhoria nos níveis de confiança dos consumidores, que passaram de -18,8 em Junho para -17,4 pontos, a terceira subida consecutiva. Neste caso, a confiança dos consumidores europeus começa a aproximar-se da média histórica, situada nos -13,3 pontos.

De acordo com os analistas, antecipa-se que, durante o segundo trimestre do ano, Portugal possa vir a garantir uma subida em cadeia do valor do PIB, mantendo-se uma variação negativa em termos homólogos. Os primeiros dados oficiais relativos ao PIB serão divulgados pelo INE no dia 14 de Agosto.