Rajoy engana-se e deixa condolências… a vítimas de sismo na China

Mensagem do presidente do Governo de Espanha sobre acidente com comboio em Santiago de Compostela fazia referência a sismo de segunda-feira na China.

Acidente de quarta-feira perto de Santiago de Compostela já contabiliza quase 80 mortos
Foto
Acidente de quarta-feira perto de Santiago de Compostela já contabiliza quase 80 mortos OSCAR CORRAL/AFP

Poucas horas depois do acidente de comboio, perto de Santiago de Compostela, em Espanha, e que fez pelo menos 77 mortos, o Ministério da Presidência espanhol difundiu uma mensagem de condolências em nome do presidente do Governo. Contudo, o comunicado está a ser destacado por um lapso: Mariano Rajoy termina a nota lamentando os danos materiais e humanos do terramoto de Gansu – que aconteceu na segunda-feira na China.

“Consternado pela notícia do descarrilamento de um comboio Alvia perto de Santiago de Compostela, queria, em nome do Governo de Espanha e no meu próprio, enviar as minhas mais sentidas condolências às famílias das pessoas que perderam a vida, assim como dar ânimo à recuperação dos feridos”, começa por dizer a nota de Rajoy, citada pelo diário espanhol El Mundo.

No comunicado, Rajoy assegura que tanto o Governo como as autoridades galegas estão a mobilizar “todos os seus recursos com o maior profissionalismo para acorrer à grave emergência" resultante do acidente. “Perante uma fatalidade como a que acaba de viver Santiago de Compostela, nas vésperas do seu grande dia, como espanhol e como galego só posso expressar o maior sentimento de solidariedade”, acrescenta a mesma nota, na qual se promete apoio às famílias das vítimas e aos feridos, assim como se garante que as causas do acidente serão apuradas.

O problema da nota oficial surge já no último parágrafo, onde, num lapso, Rajoy faz referência a uma outra tragédia, mas que ocorreu na China, na segunda-feira: “Quero transmitir os meus mais sentidos pêsames pela perda de vidas humanas e pelos avultados danos materiais que trouxe o sismo que teve lugar nesta madrugada em Gansu. Desejo, em particular, transmitir as minhas sinceras condolências aos familiares dos falecidos.”

Na segunda-feira, um sismo de magnitude 6,6 graus na escala Richter atingiu a província chinesa de Gansu, fazendo mais de 90 mortos e 800 feridos. Ao todo, mais de 120 mil pessoas foram afectadas pelo abalo e 30 mil precisaram de assistência médica. Na altura, Espanha enviou um comunicado de solidariedade para com a China – e será aí que está a origem do erro da nova nota de Rajoy sobre o acidente da comunidade da Galiza.

Eram 20h41 quando o comboio que fazia a ligação de Madrid à cidade costeira de Ferrol, na Corunha, estava a chegar a Santiago de Compostela. Na composição viajavam 222 pessoas. O acidente ocorreu em Angrois, freguesia que fica a quatro quilómetros da estação de Santiago. Até ao momento estão confirmadas 77 vítimas mortais e mais de 100 feridos. As causas do acidente estão por apurar, mas algumas informações iniciais indicam que o comboio circularia a quase 200 quilómetros por hora numa zona limitada a 80. Entretanto, o presidente da Junta da Galiza, Alberto Núñez Feijoó, decidiu declarar sete dias de luto para esta comunidade autónoma. É o pior acidente ferroviário dos últimos 40 anos em Espanha.