Casal de leopardos-da-pérsia cedido à Rússia pelo Zoo de Lisboa teve duas crias

Em 50 anos, são as primeiras crias desta subespécie a nascer naquele país, onde está extinta.

Foto
Esta é uma das subespécies de leopardo mais ameaçadas de extinção DR

Nove meses depois de ter “emigrado” para a Rússia, o casal de leopardos-da-pérsia que antes vivia no Jardim Zoológico de Lisboa teve duas crias. É a primeira vez, em 50 anos, que nascem crias de leopardo-da-pérsia na Rússia, onde esta subespécie está actualmente extinta.

As crias nasceram a 12 de Julho no Centro de Reprodução e Reintrodução do Parque Nacional de Sochi, na Reserva Natural do Cáucaso. Foi para lá que os pais, Zadig e Andrea, de sete anos, foram enviados em Outubro do ano passado, ao abrigo do Programa de Reintrodução do Leopardo-da-pérsia criado pelo governo russo em parceria com várias entidades de conservação da Natureza, entre elas o Jardim Zoológico de Lisboa.

Os filhos de Zadig e Andrea ainda não têm nome, nem se sabe qual o seu sexo. Numa nota, o Zoo de Lisboa diz que as crias, que nascem em média com 15 centímetros e 500 a 700 gramas, ainda estão junto da mãe.

Depois de uma primeira fase de adaptação, o casal e as crias vão viver para as montanhas do Cáucaso, em liberdade. Cumprem assim o objectivo do programa, que passa por reintroduzir esta subespécie – classificada como “criticamente em perigo” na lista da União Internacional para a Conservação da Natureza - no seu habitat natural, onde já não existe em estado selvagem.

O Zoo de Lisboa foi “a primeira instituição zoológica do mundo a transferir um casal de leopardos-da-pérsia para a Rússia, tendo sido seleccionado para colaborar neste programa devido ao elevado índice de reprodução desta espécie no parque – apresenta a melhor taxa de reprodução na Europa”, lê-se na nota.

A subespécie é originária do Medio Oriente e é ameaçada pela redução do habitat natural, pela caça para o comércio ilegal de pede e dos ossos, e ainda pela perseguição directa por ser considerada predadora do gado doméstico e uma ameaça para as populações. Actualmente, a população total em estado selvagem está estimada em 870 a 1290 indivíduos, com uma distribuição muito fragmentada.

“O leopardo-da-pérsia assume uma extrema importância para a Rússia, sendo inclusivamente o símbolo oficial dos Jogos Olímpicos de Inverno a decorrer em Sochi em 2014”, sublinha o Zoo de Lisboa.