Poiares Maduro nega renegociação da meta do défice

Poiares Maduro disse que, tal como previsto, não saíram conclusões deste Conselho de Ministros.

O governante disse várias vezes que o Executivo pretende dar esperança aos portugueses
Foto
O governante disse várias vezes que o Executivo pretende dar esperança aos portugueses Enric Vives-Rubio

O Governo não pediu uma revisão da meta do défice, disse o ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro, enfatizando que Portugal, graças às reformas que tem feito, tem um grau de credibilidade na Europa que poderia ficar posto em causa se agora tentasse renegociar essa meta.

“Não é uma questão que se coloque neste momento”, disse o ministro, embora salvaguardasse que tal também depende da forma como a situação evoluir na Europa.

Poiares Maduro disse que, tal como previsto, não saíram conclusões deste Conselho de Ministros, no qual confirmou que foi discutida a reforma do Estado apresentada por Paulo Portas, mas disse que a partir de agora iria mudar a relação do Estado com os cidadãos. “Haverá uma relação diferente do Estado com o cidadão em matéria de proximidade e de transparência”, disse.

Sem referir medidas concretas, e com um discurso vago, o governante disse várias vezes que o Executivo pretende dar esperança aos portugueses, mas num contexto de verdade e alertando que “o caminho é estreito” porque grande parte desse caminho depende de variáveis não exclusivamente nacionais.

O Conselho de Ministro reuniu esta tarde no mosteiro de Alcobaça numa reunião assumidamente informal e durante a qual, disse Poiares Maduro, “houve uma discussão muito viva, aberta, franca e produtiva”.