Tabacaria é o poema de Fernando Pessoa mais citado na Internet

Estudo das citações nas redes sociais mostra também que é o poeta português mais conhecido dentro e fora de Portugal

Foto
Livro anotado à mão pelo poeta, parte da exposição da Casa Fernando Pessoa Miguel Madeira

Tabacaria é o poema de Fernando Pessoa mais citado nas diferentes redes sociais, revela um estudo do Projecto Sapo Labs com a Universidade de Lisboa, hoje divulgado.

Fernando Pessoa, nascido há 125 anos, é, segundo o mesmo estudo, “o poeta português mais conhecido dentro e fora de Portugal, [e] é também provavelmente o mais citado”, lê-se no comunicado do portal Sapo. “Tabacaria é o poema mais citado, nomeadamente os versos ‘À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo’ e ‘Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta’”, lê-se na nota.

Esta pesquisa foi feita através do sítio O Mundo em Pessoa, que faz “a recolha automática de citações de Fernando Pessoa, ortónimo e heterónimos, a partir das redes sociais”, explica o mesmo comunicado.

Através deste sítio na Internet pretende-se “mostrar quais as frases e versos de Fernando Pessoa que mais inspiram os seus leitores de todo o mundo”, mas também “conduzir todos aqueles que usam as palavras de Pessoa até ao seu texto original, ampliando o número de leitores e o conhecimento da sua obra”, escreve o portal Sapo. Segundo a mesma fonte, “nos últimos sete dias foram recolhidas quase 500 citações”.

“Sempre que é citado um texto de Fernando Pessoa no Twitter ou em páginas públicas do Facebook, O Mundo em Pessoa identifica e mostra essa mensagem num interface próprio. Para saber se um texto é uma citação da obra de Fernando Pessoa, recorre-se a arquivos da obra do poeta disponíveis online, com os quais são comparados os textos do post”, explica a mesma nota.

Também é possível “filtrar os resultados por heterónimo e aceder ao top de poemas mais citados nos últimos 30 dias”. Utilizando este critério, o poema Tabacaria, de Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa, foi o mais citado nas redes sociais no último mês. O segundo poema mais citado é da série O Guardador de Rebanhos, de Alberto Caeiro, outro heterónimo do autor de Mensagem.

O investigador e estudioso da obra de Fernando Pessoa Richard Zenith realçou recentemente à Lusa que grande parte do interesse em torno de Fernando Pessoa se deve ao facto de o poeta “ser muito mais nosso contemporâneo que a maioria dos escritores nascidos no século XIX”. O interesse pela obra de Pessoa tem a ver também com “a particularidade da sua visão do mundo, assim como a maneira de escrever que o aproxima do mosso tempo, e é significativo que grande parte da sua obra tenha sido conhecida na segunda metade do século XX e no actual”, acrescentou o investigador.

Fernando Pessoa (1888-1935) publicou poucos textos em vida, tendo a maior parte da sua obra sido publicada na segunda metade do século XX e actualmente continuam a surgir inéditos. O autor, além de produzir poesia – que assinava com o seu nome –, criou vários heterónimos, nomeadamente Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro, Bernardo Soares, entre outros, que produziram variada poesia e prosa.