Kindle Fire avança para o mercado global

O tablet da Amazon vai passar a poder ser comprado a partir de Portugal. A empresa alargou também a 200 países a sua loja de aplicações para Android, que concorre com a loja do Google.

O Kindle Fire está equipado com uma versão própria do sistema Android
Foto
O Kindle Fire está equipado com uma versão própria do sistema Android Spencer Platt/Getty Images/AFP

A Amazon anunciou que vai vender em mais 170 países, entre os quais Portugal, o tablet Kindle Fire HD, alargando assim a comercialização do aparelho a praticamente todo o mundo.

O Kindle Fire HD é a segunda geração do tablet equipado com uma versão própria do sistema operativo Android e será o primeiro destes equipamentos que a multinacional americana vai vender para Portugal. Até aqui, os clientes em Portugal podiam comprar apenas os leitores de livros electrónicos, com ecrãs de tinta electrónica. O envio para os clientes começa a 13 de Junho.

A empresa alargou também a 200 países a sua loja de aplicações para Android, a Amazon Appstore, que concorre com a loja do Google. Até aqui, estava disponível apenas nos EUA, Reino Unido, Alemanha, Itália e Espanha.

O Kindle Fire está disponível em dois tamanhos de ecrã: sete e 8,9 polegadas. Cada um destes modelos é vendido com diferentes capacidades de armazenamento: 16GB ou 32GB. Ambos têm conectividade wi-fi (mas não 3G) e câmara frontal.

A Amazon lançou o Kindle Fire original como um tablet de baixo custo e como mais uma porta de entrada para os conteúdos que vende: revistas, jornais, livros electrónicos, música. “O Kindle Fire é um serviço”, escreveu a empresa no comunicado a anunciar o alargamento da comercialização, referindo-se à integração do aparelho com o ecossistema da Amazon.

Não há números oficiais sobre a venda destes tablets, mas a analista IDC estima que, no último trimestre do ano passado, tenham sido vendidos seis milhões de unidades, dando à Amazon uma quota de mercado de 11,5% e o terceiro lugar na lista de fabricantes, atrás da Samsung (15,1%) e da Apple (43,6%).