Reuters
Foto
Reuters

Bolívia lança cerveja de coca e conquista turistas

A bebida surge numa altura em que o Governo de Evo Morales tenta promover usos legais para a folha de coca

A Bolívia tem agora uma nova atracção para oferecer aos turistas: Ch’ama, uma cerveja artesanal feita com folhas de coca. Na língua indígena aymara o nome quer dizer força, e os produtores garantem que a bebida é energética. 

 

Ch’ama é totalmente natural, fabricada na Bolívia, e distribuída em pequena escala nos principais pontos turísticos do país. Surge como uma alternativa ao tradicional chá de folha de coca e é usada para combater os efeitos negativos da altitude. 

 

É vendida em garrafas de vidro e o preço unitário varia entre os 2,10 euros e 2,70 euros. Para além de folhas de coca maceradas, a Ch’ama leva ainda malte, levedura e lúpulo. O resultado é uma cerveja de alta fermentação, com 5% de álcool, e um sabor moderado a folha de coca. 

 

Na Bolivia acredita-se que esta planta ajuda a acabar com o mal-estar provocado pela baixa pressão do oxigénio que se sente nas altas montanhas, o que a torna especialmente procurada por turistas. 

 

Nova vida para a folha de coca

A bebida é produzida pela Vico’s, uma empresa local, que pretende brevemente exportar para o Chile e Peru. Aliás, o Peru já adoptou a ideia e lançou a sua própria cerveja de coca. Chama-se Apu, e significa “Deus da Montanha” em quechua. 

 

A bebida surge numa altura em que o Governo de Evo Morales tenta promover usos legais para a folha de coca. Sendo o terceiro maior produtor mundial de folha de coca, a Bolívia quer aumentar a sua produção e exportação. Em 2011, já tinha apoiado o lançamento do Coca Brynco, um refrigerante pensado para concorrer com a Coca-cola.