Oferta combinada de gás e electricidade da EDP não compensa, afirma DECO

Associação de Defesa do Consumidor salienta, porém, que nova campanha de electricidade é mais vantajosa que a proposta da Endesa, vencedora do leilão.

A Deco considera que não compensa aderir à oferta combinada de gás e electricidade que a EDP lançou na segunda-feira, mas reconhece ganhos anuais na electricidade até 8 euros em comparação com a proposta que venceu o recente leilão, apresentado pela Endesa.

“O tarifário EDP [para a electricidade] Casa Click é vantajoso a partir de 3,45 kVA de potência contratada, mas peca por não ser extensível à tarifa bi-horária. Já a oferta dupla da EDP, o EDP Casa Total Click, nunca compensa”, afirma aquela associação de defesa do consumidor, em comunicado.

Há uma semana, a Endesa venceu o leilão de electricidade, com uma oferta de desconto de 5% (face aos preços das tarifas transitórias de electricidade), limitado a 1,2% para as tarifas bi-horárias.

Mas os 600 mil consumidores inscritos no leilão organizado pela Deco, potenciais clientes da Endesa, têm mais vantagem em contratar o novo tarifário de electricidade da EDP para potências a partir de 3,45 kVA (quilowatt-ampere).

Nas potências mais comuns (3,45 e 6,9 kVA), a poupança por ano oferecida pela EDP é de 18 euros e 31 euros face à tarifa regulada, a da EDP Serviço Universal, e de quatro euros e oito euros face ao tarifário oferecido pela Endesa.

“O desconto [da EDP] de 5% na electricidade, comum aos dois tarifários, incide sobre a potência contratada e a energia consumida. Como o tarifário da Endesa, que venceu o leilão, só abrange o consumo de electricidade, a redução na factura conseguida com o tarifário da EDP é um pouco maior”, reconhece.

A oferta dupla da EDP é que não compensa: “Quanto ao gás natural, o desconto apresentado parece tentador (10% no termo fixo e no consumo) mas, feitas as contas para um consumo anual de gás de 320 m3, é mais vantajoso contratar o EDP Casa Click, para a electricidade, e o Goldenergy Goldgás, para o gás natural”, especifica a associação.

Este tarifário combinado é o “mais barato em todos os cenários”, segundo as contas da Deco, apresentando uma redução no termo fixo correspondente a 20% da factura.

Mas quem quiser tarifa bi-horária fica de fora da proposta da EDP, adverte a associação, acrescentando que o mesmo acontece a quem pretende uma potência inferior a 3,45 kVA ou um consumo por ano de gás natural superior a 500 m3.

Para usufruir dos descontos, a EDP “obriga” à adesão exclusiva via Internet e à aceitação do pagamento por débito directo, o que a Deco diz que viola uma recomendação da Entidade Reguladora do Sector Eléctrico para existirem dois meios de pagamento disponíveis para os consumidores.