Portugal com 3.ª maior queda nas vendas do comércio a retalho na UE

De acordo com dados do Eurostat, as vendas do comércio e retalho têm vindo a descer tanto em Portugal como no resto da Europa.

Taxas cobradas pelo uso de terminais electrónicos contestadas pelo comércio, hotelaria e restauração
Foto
Taxas cobradas pelo uso de terminais electrónicos contestadas pelo comércio, hotelaria e restauração Rita Baleia/Arquivo

O volume de vendas do comércio a retalho recuou 2,4% na zona euro e 1,6% na União Europeia, em Março, em comparação com o mesmo mês de 2012, tendo baixado 5,9% em Portugal, a terceira maior quebra.

De acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira pelo Eurostat, o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), a queda homóloga registada em Portugal foi a maior desde Dezembro de 2012, quando o índice de vendas recuou 8,2%.

A zona euro e a UE registaram as maiores quebras homólogas desde Dezembro de 2012, altura em que foram observadas descidas de 2,9% e de 2%, respetivamente.

Entre os 27 Estados-membros, as maiores descidas homólogas pertenceram a Espanha (-10,5%), à Eslovénia (-7,7%) e a Portugal (-5,9%), enquanto a Letónia (8,8%), a Lituânia (4,5%) e a Suécia (3%) lideraram as subidas.

Na comparação mensal, isto é, Março em relação a Fevereiro, Portugal registou uma quebra de 3% no volume de vendas do comércio a retalho, a maior entre os Estados-membros, e superior às observadas na zona euro (-0,1%) e na UE (-0,2%).

Portugal regressou, em Março, às quedas mensais, depois de ter registado dois meses consecutivos de subidas (3,8% em Janeiro e 0,8% em Fevereiro).

Além de Portugal, as maiores quebras foram observadas na Eslovénia (-2,6%) e na Irlanda (-1,9%), enquanto os maiores aumentos pertenceram à Estónia (2,7%), à Letónia (2,1%) e à Finlândia (1,3%).