Passos escusa-se a comentar "rumores" sobre divisões no Governo

Primeiro-ministro diz que não tem nada a dizer sobre Vítor Gaspar ou quaisquer outros ministros.

Conferência de imprensa de Outubro de 2011, em que Passos Coelho anunciou medidas de austeridade adicionais para 2012
Foto
Passos diz que o Governo não deixará de olhar para as medidas apresentadas pelo PS Foto: Pedro Cunha / Arquivo

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou nesta segunda-feira que o Governo tem estado a trabalhar "com grande coesão" em medidas para concluir o Orçamento rectificativo para 2013 e no programa que tem de ser submetido à troika e ao Parlamento, escusando-se a comentar as notícias sobre divisões no Conselho de Ministros.

Questionado sobre se Vítor Gaspar se mantém no Governo, Passos Coelho disse não querer falar no ministro.

O chefe do executivo falava aos jornalistas no final de um encontro com o primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, que decorreu nesta segunda-feira na residência oficial, em Lisboa.

“Não comento notícias sobre rumores de assuntos que são tratados no Conselho de Ministros. No dia em que isso acontecer, deixa de ser o Conselho de Ministros e os ministros passam a reunir-se à porta aberta perante os jornalistas. Não é assim que se governa”, afirmou Passos Coelho, quando questionado sobre divisões entre os ministros em torno de medidas duras.

Como na resposta não se referiu ao ministro das Finanças, os jornalistas insistiram sobre se Vítor Gaspar está de pedra e cal no Governo. Passos foi lacónico: “Não tenho nada a dizer sobre o ministro Vítor Gaspar ou sobre outro ministro.”

O primeiro-ministro referiu que entre as medidas que têm estado a ser trabalhadas "algumas constam do Orçamento rectificativo e outras serão apresentadas no final desta semana conforme acordado com a troika e informado o senhor Presidente da República". E acrescentou: "Sobre essas matérias o Governo tem estado a trabalhar com grande coesão e de forma muito intensa para que todos os objectivos que traçámos possam ser respeitados."

Mais uma vez, Passos Coelho aproveitou para salientar que está aberto ao diálogo com o PS. Questionado sobre as medidas apresentadas ontem pelo líder socialista, António José Seguro, o primeiro-ministro disse que o “Governo está aberto a encontrar pontos de diálogo”. “O Governo não deixará de olhar para as medidas”, acrescentou, remetendo uma reacção para o momento das reuniões com os partidos a propósito da estratégia para o crescimento.