Lucro do BPI aumentou até Março para 40,5 milhões de euros

Os resultados do banco no mercado português cresceram, ao contrário da actividade internacional. Os depósitos de clientes e a carteira de crédito baixaram.

Só este ano o banco liderado por Fernando Ulrich pagou 920 milhões de euros
Foto
Só este ano o banco liderado por Fernando Ulrich pagou 920 milhões de euros Foto: Ricardo Brito

O Banco Português de Investimento (BPI) apurou um lucro de 40,5 milhões de euros no primeiro trimestre de 2013, mais 3,1% do que no mesmo período do ano passado, revelou nesta quarta-feira a instituição bancária.

Em Portugal, onde teve um resultado líquido de 21,2 milhões de euros, o banco liderado por Fernando Ulrich cresceu 7,4% no conjunto da banca comercial, banca de investimento e participações.

Pelo contrário, na actividade internacional (de banca comercial), os lucros baixaram, passando para 19,3 milhões de euros (um recuo de 1,3% face ao primeiro trimestre de 2012).

Os depósitos de clientes caíram 3,6%, passando de 19.558 milhões de euros no ano passado para 18.853 milhões de euros.

A carteira de crédito a clientes do banco em Portugal caiu 4,8%. No caso das empresas, baixou 15,8%, enquanto na carteira de crédito concedido ao sector público houve um recuo de 12,5%. Já no crédito a particulares, empresários e negócios, no final de Março o total de crédito registava uma diminuição de 5,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Especificamente no crédito sediado na sucursal de Madrid, houve um recuo de 10,7%.No que toca ao rácio Core Tier I (o capital medido em função dos requisitos de fundos próprios tendo em conta os riscos da actividade do banco), este indicador situava-se em 9,6%, acima da meta de 9% fixada pela Autoridade Bancária Europeia. No quadro do plano de recapitalização do BPI, feito em parte com recurso a ajuda pública, o banco devolveu ao Estado, a 12 de Março, mais 200 milhões de euros de obrigações subordinadas de conversão contingente.

O BPI decidiu pedir o reembolso de 100 milhões de euros, o que reduzirá a dívida ao Estado para 900 milhões de euros.