Ford pede desculpa por anúncio com Berlusconi e mulheres algemadas

Três anúncios polémicos terão sido publicados na Internet sem a autorização da agência de publicidade que trabalha com a Ford na Índia.

Um dos anúncios que acabou por ser partilhado na Internet
Foto
Um dos anúncios que acabou por ser partilhado na Internet DR

Três anúncios, em formato caricatura, com Silvio Berlusconi, Michael Schumacher e Paris Hilton como personagens principais levaram a Ford e a agência de publicidade WPP a emitir um pedido de desculpas, depois de a polémica gerada em torno das imagens alegadamente destinadas a uma campanha de promoção do modelo Ford Figo na Índia. No anúncio, onde o político italiano aparece ao volante do carro, surgem também três mulheres algemadas na bagageira.

A agência de publicidade JWT, autora dos anúncios e responsável pela promoção do Ford Figo, um modelo da marca lançado na Índia, divulgou as três imagens no site Ads of the World sem autorização da empresa norte-americana. Os três anúncios estiveram disponíveis e foram retirados pouco depois mas, apesar de nunca terem sido utilizados para promover o Ford Figo, acabaram por se tornar virais na Internet.

Sob o lema “Deixe as suas preocupações para trás”, num dos anúncios surge a socialite Paris Hilton ao volante do carro, com as três irmãs Kardashian, algemadas e amordaçadas na bagadeira, e num outro, numa versão masculina do mesmo anúncio, no lugar do condutor aparece Michael Schumacher a olhar para três outros pilotos de Fórmula 1, um deles Lewis Hamilton.

O mais polémico acabou por se tornar aquele em que Silvio Berlusconi surge retratado ao volante e atrás de si, na zona de bagagem, três mulheres mais uma vez algemadas. O anúncio acabou por ser associado ao escândalo que envolve Berlusconi e festas de cariz sexual, onde participaram menores, e considerado inapropriado numa altura em que na Índia a violência sobre as mulheres é um dos temas mais polémicos.

A agência de publicidade WPP, que detém a JWT, emitiu um comunicado citado pelo Business Insider e pelo The Huffington Post, no qual lamenta “a publicação de cartazes de mau gosto e contrários aos padrões de profissionalismo e de decência do grupo WPP”. A agência garante que os anúncios não foram criados com a intenção de serem publicados e “nunca deveriam ser criados, muito menos colocados na Internet”. “Este foi o resultado de uma iniciativa de indivíduos que actuaram sem a necessária orientação e foram tomadas medidas com a agência onde trabalham para que resolvam a situação”, continua a nota da WPP.

A Ford reagiu com um pedido de desculpas citado pelo The Wall Street Journal e pelo Business Insider, assegurando que, em conjunto com os seus parceiros publicitários, está a trabalhar “para garantir que nada como o que se passou se repita”.