Torne-se perito

Nokia com telemóveis baratos para continuar competitiva

Gigante finlandesa de telemóveis tenta inverter a crise com aposta nos mercados emergentes.

Fotogaleria
Aspecto geral da feira em Barcelona Reuters
Fotogaleria
O modelo Nokia 105 pensado para os novos mercados AFP

A Nokia apresentou na segunda-feira, no Mobile World Congress, em Barcelona, Espanha, quatro novos modelos para fazer face à contínua queda nos mercados. Dois deles serão para competir nos mercados dos telemóveis mais baratos, depois de uma queda de 20% nas vendas neste segmento em 2012.

O Nokia 105 é a aposta da marca para os mercados da Ásia, África, Rússia e América do Sul. O modelo, que terá capacidade para durar 35 dias sem ser recarregado (se não estiver em uso) ou para 12,5 horas de conversação, vai custar cerca de 15 euros e pretende concorrer com as asiáticas Huawei e ZTE, que já produzem telemóveis de baixo custo naquele continente.

O analista da IDC Francisco Jerónimo acredita que “o Nokia 105 vai provavelmente ser o telemóvel mais barato de uma marca grande disponível no mundo”, a par do Nokia 301, que irá custar cerca de 65 euros. “O desafio está em como atingir o mercado da gama mais baixa, a preços bastante acessíveis e que dêem margem para lucro. O Nokia 105 é provavelmente a melhor resposta a esta questão”, refere uma nota do analista.

Os outros dois modelos apresentados pela Nokia pretendem fazer a ponte de ligação entre os smartphones caros e os telemóveis mais baratos. Os novos Lumia 720 e Lumia 520 vêm equipados com o Windows Phone 8 e podem ser adquiridos a valores muito inferiores aos já praticados pelos restantes modelos desta gama. Vão estar à venda por 249 euros e 139 euros, respectivamente. Os preços dos novos aparelhos da Nokia estão ainda sujeitos aos impostos de cada país.

A Nokia está em segundo lugar no mercado, apesar de estar em contínua queda. A líder do mercado dos telemóveis, a Samsung, também apresentou novidades no congresso de Barcelona, com o lançamento do Samsung Galaxy Note 8.0, um tablet com ecrã de oito polegadas que pretende fazer concorrência ao iPad Mini da Apple.
 

Artigo actualizado: clarificado que os 35 dias de duração da bateria são quando o telemóvel não está a ser utilizado; em conversação, a fabricante diz que o modelo tem capacidade para 12,5 horas antes de ser carregado.