Nogueira Leite nomeado administrador da EDP Renováveis

O antigo responsável da CGD passa a ocupar os cargos de membro do conselho de administração e de membro da comissão de nomeações e retribuições da EDP Renováveis.

Antigo responsável da CGD foi também secretário de Estado das Finanças no último Governo de António Guterres
Foto
Antigo responsável da CGD foi também secretário de Estado das Finanças no último Governo de António Guterres Miguel Manso

António Nogueira Leite foi nomeado membro do conselho de administração da EDP Renováveis, de acordo com um comunicado enviado pela empresa na terça-feira à noite à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Segundo o comunicado, Nogueira Leite foi nomeado por cooptação para ocupar um lugar que se encontrava vago, na sequência das renúncias apresentadas por membros do conselho de administração durante o ano de 2012.

Além de Nogueira Leite, foram nomeados para o conselho de administração da EDP Renováveis Acácio Jaime Liberado Mota Piloto e José A. Ferreira Machado, “no seguimento da proposta da comissão de nomeações e retribuições” e “até à próxima assembleia-geral de accionistas”, lê-se no comunicado.

O ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos foi também nomeado para preencher um segundo lugar vago na comissão de nomeações e retribuições, enquanto José A. Ferreira Machado foi escolhido para preencher o lugar disponível de membro e presidente da comissão de operações entre partes relacionadas.

As alterações nos órgãos sociais da EDP Renováveis foram comunicadas à CMVM na terça-feira à noite, no mesmo dia em que foram divulgados os resultados anuais da empresa, que apresentou um lucro de 134,2 milhões de euros, mais 32% do que em 2011.

Professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, Nogueira Leite foi, entre Julho de 2011 e Janeiro de 2013, vice-presidente da comissão executiva da Caixa Geral de Depósitos e presidente do conselho de administração da Caixa Banco de Investimento.

O economista foi também já administrador na Bolsa de Valores de Lisboa, secretário de Estado do Tesouro e das Finanças do segundo Governo de António Guterres e, por inerência de funções, governador (suplente) do Banco Europeu de Investimentos.

Desempenhou ainda funções de administrador executivo da CUF, da José de Mello Saúde, da Efacec, da Brisa e da Quimigal, para além de ter sido vice-presidente do Conselho Consultivo do Banif Investment Bank.