UE investe 50 milhões para desenvolver 5G

As gerações de redes móveis têm-se sucedido em ciclos de dez anos e a próxima deverá chegar por volta de 2020.

Tablets e smartphones deram um  novo fôlego à leitura de textos longos
Foto
A próxima geração de redes móveis deverá surgir por volta de 2020 Brian Snyder/Reuters

A União Europeia vai atribuir, ao longo deste ano, 50 milhões de euros em projectos de investigação para o desenvolvimento de tecnologia 5G.

Em comunicado, a vice-presidente da Comissão Europeia Neeli Kroes diz que o objectivo passa por tornar a indústria de telecomunicações europeia pioneira nas redes de próxima geração. O dinheiro será distribuído por projectos em que participam instituições académicas e empresas. Num dos projectos apoiados, chamado Mobile Cloud Networking, a PT é um dos parceiros. Este consórcio de investigação surgiu, com fundos europeus, em Novembro de 2012 e tem uma duração prevista de três anos.

Segundo dados da Comissão Europeia, em 2020 o tráfego móvel será 33 vezes superior ao registado em 2010. “Nessa altura, o acesso à Internet será dominado por dispositivos sem fios, como smartphones, tablets, máquinas e sensores, que requerem uma tecnologia mais eficiente e omnipresente para transportar o tráfego de dados”, explica a nota publicada nesta quinta-feira.

A indústria começou há pouco tempo a comercializar dispositivos e serviços em 4G, a quarta geração de redes móveis. O termo 5G é genericamente usado para designar a tecnologia que se seguirá, mas ainda não há especificações técnicas para esta quinta geração. As novas gerações de redes móveis têm surgido em ciclos de aproximadamente dez anos.

Entre 2007 e 2013, a UE investiu cerca de 700 milhões de euros em redes de comunicações, metade dos quais foram usados no desenvolvimento de redes móveis.