Dois bombeiros mortos a tiro quando lutavam contra incêndio no estado de Nova Iorque

Pelo menos um atirador disparou contra bombeiros que tinham sido chamados para extinguir incêndio no estado de Nova Iorque. Quatro ficaram feridos, dois morreram. O atirador ter-se-á matado.

O incêndio continuava depois de quatro bombeiros terem sido atingidos a tiro
Foto
O incêndio continuava depois de quatro bombeiros terem sido atingidos a tiro Reuters

Ainda há poucos detalhes sobre o que aconteceu depois de uma unidade de bombeiros ter respondido a um pedido de ajuda para combater um incêndio. Ao chegar ao local, quatro foram atingidos por tiros, e dois morreram. Um terceiro corpo sem vida foi encontrado depois, presume-se que seja do atirador.

Tudo aconteceu na localidade de Webster, perto de Rochester, estado de Nova Iorque, na madrugada desta segunda-feira (5h30, hora local). Depois de receberem uma chamada sobre um incêndio numa casa e num carro, os bombeiros puseram-se a caminho.

As autoridades dizem que um ou mais atiradores terão alvejado os bombeiros depois de estes terem saído dos veículos para tentar extinguir o incêndio, que entretanto começava a alastrar. Pelo menos oito casas terão sido afectadas pelas chamas.

Embora nada da investigação tenha transpirado para o dominío público, a imprensa norte-americana especula que se possa ter tratado de uma cilada. Uma ideia fundamentada em declarações de um chefe de polícia e que está a ser citado por jornais como o The New York Times. "Parece que foi uma emboscada", disse Gerald. L. Pickering, comentando o sucedido.

Durante horas, diz a CNN, o tiroteio impediu que os bombeiros pudessem apagar o incêndio. Equipas de operações especiais (SWAT) foram ao local evacuar várias casas.

Dos quatro atingidos, dois acabaram por morrer. Um deles era um polícia que, nas horas livres, era bombeiro voluntário.

Um dos bombeiros terá conseguido escapar no próprio carro, uma hora depois de ter sido atingido, e foi depois levado para o hospital.

No local do sucedido, nas margens do Lago Ontario, o ambiente era de consternação, relatam as agências internacionais. O suposto atirador foi encontrado morto. Pelo menos acredita-se que um terceiro corpo descoberto na zona do tiroteio seja o do responsável pelo incêndio e pelo tiroteio. Trata-se de um home de 62 anos, com cadastro, que cumpriu 18 anos de pena de prisão por ter matado a avó. Identificado como sendo William Spengler, teria "problemas mentais", segundo o chefe da polícia, que acrescentou que o autor destes homicídios terá posto fim à própria vida, também com um tiro. Segundo o jornal Washington Post, Spengler matara a avó à pancada com um martelo, em 1980, numa casa vizinha à que foi palco das primeiras chamas no incêndio desta segunda-feira.

As autoridades admitiam que pudesse haver mais baixas, nas casas que arderam. Designadamente na residência do atirador onde, segundo a polícia, poderia estar a irmã de Spengler, cujo paradeiro continua desconhecido.

 

Sugerir correcção