Portugueses compram apenas o essencial

Estudo da Nielsen sobre bens de grande consumo revela que só a alimentação mantém o crescimento da facturação.

Consumidores estão a substituir produtos mais caros e a optar, cada vez mais, pelas marcas próprias
Foto
Portugueses continuam a comprar, mas sobretudo produtos alimentares Nuno Oliveira

Os portugueses estão a comprar só o essencial, ou seja, a alimentação e a cortar, por exemplo, na higiene, a pessoal e a da casa.

O estudo da Nielsen sobre bens de grande consumo, divulgado este domingo pelo Diário de Notícias e Jornal de Notícias, revela que de Janeiro a Novembro, os consumidores nacionais compraram sobretudo comida. A mercearia representa 36,3% das vendas da grande distribuição contra os 35,8% no ano anterior.

Quanto aos produtos de higiene verificou-se uma ligeira quebra nos produtos para a casa, de 8,5% para 8,2%; e nos de higiene pessoal a quebra é ligeiramente superior, de 12,2% para 11,9%.

Em termos de facturação, a alimentação mantém o crescimento e aumentou 2,4% em relação a 2011. Quanto aos artigos de higiene para o lar e pessoal confirmou-se a quebra de vendas de 5,4% e 3,1%, respectivamente. No total, o mercado acumula vendas de 6,9 milhões de euros, uma subida de apenas 0,6% comparativamente aos 11 meses de 2011.

Sugerir correcção