20 crianças entre os 27 mortos em tiroteio em escola primária nos EUA

Atirador de 24 anos está morto. É o segundo ataque com armas de fogo mais mortífero de sempre nos EUA.

Crianças a serem levadas da escola onde ocorreu o tiroteio
Crianças a serem levadas da escola onde ocorreu o tiroteio DR
O caos em redor da escola
O caos em redor da escola Michelle McLoughlin/ REUTERS
Muitos pais ocorreram ao local para levar os filhos para casa
Muitos pais ocorreram ao local para levar os filhos para casa Michelle McLoughlin/ REUTERS
Dois alunos da escola de Sandy Hook
Dois alunos da escola de Sandy Hook Michelle McLoughlin/ REUTERS
Um pai e uma filha
Um pai e uma filha Michelle McLoughlin/ REUTERS
Angústia e sofrimento dos pais
Angústia e sofrimento dos pais Michelle McLoughlin/ REUTERS
Fotogaleria

Vinte e sete pessoas morreram num ataque armado de um homem de 24 anos a uma escola primária em Newtown, Connecticut, onde estavam crianças com idades entre os cinco e os dez anos. Entre os mortos encontram-se 20 crianças. A mãe do atacante é uma das professoras mortas. É o segundo ataque com armas de fogo mais mortífero de sempre nos EUA.

As autoridades já confirmaram que o homem responsável pelo tiroteio na escola de Sandy Hook está morto, e tinha ligações à escola - a sua mãe era professora no infantário e foi um dos seis adultos que matou e as crianças da sua aula estavam entre as suas vítimas, anunciou a polícia do estado do Connecticut. As crianças que o atirador identificado como Ryan Lanza matou encontravam-se apenas em duas salas de aula.

A NBC News, no entanto, avança que o atirador poderia ter levado consigo a identificação do irmão mais velho. O atirador poderia assim ser Adam e Ryan Lanza o homem encontrado morto numa residência de Nova Jérsia.

Foram avançadas algumas notícias dizendo que o pai de Lanza foi também encontrado morto em Nova Jérsia, mas não foram confirmadas. A namorada de Lanza e um outro amigo são dados como desaparecidos, diz a a Associated Press. 

Tinha 24 anos e levava quatro armas, uma delas com calibre .223. Poderá ter disparado 100 tiros. No fim, disparou contra si próprio.

O homem irrompeu pelo edifício principal da escola por volta das 9h30 (hora local), com a cara tapada. O ataque terá começado no gabinete do director da escola, e alguém terá ligado o sistema de intercomunicação do estabelecimento de ensino, pelo que toda a escola ouviu gritos no gabinete, e palavrões. Com este sinal de alarme, os professores trancaram as salas de aula e colocaram a maioria das crianças em segurança, adianta a CBS News. Mas toda uma sala de aula terá sido vítima dos disparos do atirador . 

Outra pessoa foi detida num bosque nas imediações da escola - havia relatos, não confirmados, de que poderia existir um segundo atirador. O irmão do atirador foi também detido. 

À hora do ataque estariam cerca de 600 crianças na escola, com idades entre os cinco e os dez anos. O estabelecimento de Sandy Hook alberga um infantário e uma escola primária. As autoridades selaram todos os edifícios escolares e isolaram o local. Os alunos foram reunidos num pavilhão, acompanhados pelos professores, e posteriormente encaminhados para o quartel de bombeiros de Sandy Hook, que fica em frente da escola.

O Presidente Barack Obama telefonou ao governador do Connecticut, Dan Malloy, para se informar do que se passava, e também ao director do FBI, Robert Mueller, revelou um porta-voz da Casa Branca, Jay Carney. Instado a comentar se este caso não seria mais um argumento de peso a legislar para pôr um travão na facilidade com que os norte-americanos têm acesso a armas, Carney sublinhou que "este não era o momento para tal". Agora "temos de apoiar a manutenção da lei e as famílias que estão a passar por este acontecimento trágico, Há tempo para discutir as implicações política mais tarde", cita-o a Reuters.

À saída do local, os pais de Alexa, uma menina que frequenta o terceiro ano em Sandy Hook e que escapou sem ferimentos, manifestaram a sua incredulidade pelo sucedido. “Estou em estado de choque. Não parece possível que uma coisa destas pudesse alguma vez acontecer num lugar tão pequeno”, disse a mãe da criança.

A localidade de Newtown, com cerca de 27 mil habitantes, é uma pitoresca cidade do estado do Connecticut, a cerca de cem quilómetros a norte da cidade de Nova Iorque.

Um dos residentes, Mike Branchwell, explicou à CNN que uma das razões por que tinha decidido mudar-se para Newtown em 2005 fora precisamente a qualidade das suas escolas, que figuram no topo dos rankings do ensino.