Enfermeira que deu informações sobre a duquesa de Cambridge encontrada morta

Foi enganada por locutores australianos - uma fez-se passar pela rainha Isabel II - que, entretanto, foram suspensos.

Foto
Kate saiu do hospital na quinta-feira Andrew Winning/ REUTERS

Uma das enfermeiras que deu informações sobre a gravidez de Kate Middleton, a duquesa de Cambridge, a uma jornalista que se fez passar, ao telefone, pela rainha Isabel II, foi encontrada morta. A polícia suspeita de suicídio, avança a BBC.

"É com grande pesar que confirmamos a sua morte.Trabalhava neste hospital há quatro anos e era uma excelente enfermeira, muito respeitada e muito popular entre as colegas”, disse o director do Hospital Rei Edward VII, John Lofthouse.

Os duques de Cambridge, Kate e William, em comunicado, disseram estar "profundamente entristecidos" com a notícia.

Identificada pelo hospital de Londres como Jacintha Saldanha, estava na recepção (era madrugada de quarta-feira) e atendeu o telefone a uma pessoa que, dizendo ser a “avó” da duquesa, queria saber do seu estado de saúde. Kate, grávida de dois meses, dera entrada naquele hospital com enjoos matinais severos ­- saiu na quinta-feira e foi-lhe recomendado repouso absoluto.

Soube-se depois que quem telefonou não foi a rainha Isabel II, mas sim uma locutora de uma estação de rádio australiana que pôs a gravação no ar, explicando o mecanismo que usara. Dois locutores (um homem e uma mulher) lembraram-se de telefonar para o hospital, fazer uma imitação da voz da rainha e do príncipe Carlos e ouvir a reacção. Encontram-se desde hoje suspensos e as suas contas nas redes sociais foram encerradas devido à quantidade de pessoas que deixou mensagens a insultá-los e a culpá-los pela morte de Jacintha Saldanha.

As autoridades do hospital, citadas pela BBC, consideraram Jacintha Saldanha  - de ascendência indiana, mãe de dois filhos - uma "profissional de primeira". Estava previsto que a enfermeira explicasse, esta sexta-feira, aos responsáveis do hospital exactamente o que sucedeu (fora aberto um inquérito). Foi encontrada morta pela polícia perto das 9h30 da manhã, num apartamento não longe do Hospital Rei Edward VII.

“Fomos chamados perto das 9h25 a uma morada na rua Weymoyth. Enviámos uma ambulância. Infelizmente, a paciente, uma mulher, estava morta”, explicou em comunicado o serviço de emergência médica de Londres.

O telefonema foi considerado pela imprensa britânica uma falha na segurança da família real, pois, mesmo tratando-se de uma informação inócua, há protocolos sobre o fornecimento de informações sobre os Windsor, sobre o seu paradeiro e estado de saúde. Para o hospital de eleição da família real, foi um embaraço e está a ser avaliado se o Edward VII irá ou não processar a estação de rádio australiana e os dois locutores, que entretanto pediram desculpa.

“Lamentamos. Ficámos muito surpreendidas por o nosso telefonema ter resultado. Pensámos que iriam desligar o telefone na nossa cara”, disseram Mel Greig e Michael Christian, da 2Day. Greig fez-se passar pela rainha – pediu para falar com “a neta Kate” -, enquanto Christian fazia ruídos de fundo dando a ideia de que era o príncipe Carlos. Jacintha Saldanha respondeu: “Sim, claro, um momento, minha senhora.” Passou depois a chamada a outra enfermeira, que divulgou mais detalhes sobre o estado da duquesa. A identidade da segunda enfermeira envolvida no incidente não foi divulgada até ao momento.

O pedido de desculpas foi feito antes da notícia da morte da enfermeira.