Começa a revelar-se "Django Unchained", o western “brutalmente hilariante” de Quentin Tarantino

O novo filme de Quentin Tarantino, com estreia portuguesa marcada para 24 de Janeiro, foi visto este fim-de-semana pela crítica norte-americana. Peter Bogdanovich classifica-o como "o mais curto longo western desde Rio Bravo"

Com Jamie Foxx, Christopher Waltz e Leonardo di Caprio como protagonistas, "Django Unchained" é um western spaghetti que conta a história de um escravo libertado em busca de vingança nos Estados Unidos do pós Guerra Civil. "Quero criar filmes que lidem com o horrível passado de escravatura da América", dizia Quentin Tarantino em 2007.

Os críticos presentes este fim-de-semana na projecção de novo filme de Quentin Tarantino destacam a sua “mistura de violência extrema e humor espirituoso”. Recuámos três anos e falamos, afinal, de "Inglorious Basterds", o épico de 2009 passado na Segunda Guerra Mundial? Não, estamos em 2012 e o novo de Tarantino, "Django Unchained", não é um filme de guerra. A “mistura de violência extrema e humor espirituoso” que, dizem alguns críticos, pode colocar o realizador de "Pulp Fiction" na rota dos prémios da Academia, passa-se nos Estados Unidos do século XIX, no pós-Guerra Civil. É um western spaguetti protagonizado por Jamie Foxx, Christopher Waltz e Leonardo di Caprio.

O realizador Peter Bogdanovich, discursando segunda-feira numa cerimónia de homenagem a Tarantino no Museum Of Modern Art, chamou-lhe, cita o New York Times, “o mais curto longo western desde Rio Bravo”. Acrescentou que será provavelmente o melhor filme do realizador. Bogdanovich vira as suas duas horas e quarenta e quatro minutos na noite de domingo, sentado ao lado do seu autor: “Ainda estou a tremer”.

Rodado entre Novembro de 2011 e Março de 2012, entre a Califórnia, o Wyoming, Louisiana e Nova Orleães, "Django Unchained" conta a história de um escravo, Django, (Jamie Foxx), libertado por um dentista austríaco, King Schultz (Christopher Waltz, o caçador de judeus de "Inglorious Basterds"), que procura vingança do seu antigo senhor, Calvin Candie (Leonardo di Caprio).

O título homenageia Django, de Sérgio Corbucci, e seguindo a tradição de Tarantino de prestar tributo aos seus heróis, Franco Nero, o protagonista do filme estreado em 1966, tem uma breve participação. Participam ainda Samuel L. Jackson, o actor que conta o maior número de colaborações com Tarantino, Don Johnston ou RZA, músico dos Wu Tang Clan que realizou recentemente "O Homem dos Punhos de Aço", filme onde é notória a influência do autor de "Kill Bill".

A estreia americana está marcada para 25 de Dezembro, mas, como se depreende, "Django Unchained" não será um "Do Céu Caiu Uma Estrela", o filme de Frank Capra que é um clássico natalício há gerações.

Lê o artigo completo no Público