Dados de Outubro do IEFP

Desempregados inscritos nos centros de emprego cada vez mais próximos dos 700 mil

Centros de Emprego batem recorde de inscrições.
Foto
Obrigação de comparecer no controlo quinzenal acaba a partir de Outubro Jorge Silva

Em Outubro, havia 695 mil desempregados registados, mais 127.750 do que há um ano.

As estatísticas do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEGP) divulgadas esta quinta-feira dão conta de um aumento anual de 22,5% do número de desempregados registados entre Outubro deste ano e o mesmo mês de 2011. Em relação ao mês anterior, o aumento do número de inscritos foi de 1,7% o que se traduz em mais 11433 desempregados.

Os números do IEFP revelam que o número total de desempregados continua a bater recordes e aproxima-se cada vez mais dos 700 mil.

Os jovens foram os mais afectados pelo crescimento anual do desemprego, registando um aumento de 26,7%, enquanto os adultos desempregados passaram a ser +21,9% do que há um ano atrás.

Todos os níveis de escolaridade sofreram um aumento do número de inscrições mas é entre os desempregados com o ensino superior que a subida homóloga foi mais pronunciada. Os centros de emprego tinham mais 43,1% de inscritos em Outubro.

“Tanto os desempregados inscritos há menos de um ano, como os de longa duração, aumentaram em termos anuais, 24,1% e 20,1%, respectivamente”, revelam as estatísticas.

O aumento das inscrições face há um ano atrás ocorreu em todas as regiões, em particular na Madeira (+32,3%) e no Alentejo (+32,2%), mas o Norte continua a ser a região que contabiliza mais desempregados. Relativamente ao mês de Setembro também ocorreu um crescimento do número de inscritos, com destaque para o Algarve que sofreu um aumento de 9,1%.

Função pública e professores entre os mais afectados

O aumento do desemprego afectou sobretudo os quadros superiores da administração pública, que registou uma subida anual de 166%, embora este grupo se apresente “pouco expressivo” no total do desemprego, ressalva o IEFP.

Destaque também para a subida de 67,7% dos docentes do ensino secundário, superior e profissões similares e dos especialistas das ciências físicas, matemáticas e engenharia, com mais 48,2% desempregados do que há um ano.

O fim de trabalho não permanente continua a ser o principal motivo de inscrição, com 27876 desempregados registados ao longo do mês de Outubro (mais 3,3% face ao mesmo mês de 2011). Em segundo lugar, aparecem os despedimentos, com 16,3% de aumento face a Outubro de 2011. Os despedimentos por mútuo acordo aumentaram, por sua vez, 41,1%, para 2831 inscritos ao longo do mês.

Os números revelam ainda um aumento muito expressivo, de quase 56% do número de pessoas que ficaram desempregadas e que antes trabalhavam por conta própria.

O número de desempregados registados como “ocupados” (por estarem integrados em programas de emprego ou de formação profissional) mais do que duplicou (132,8%) para 72412 indivíduos no espaço de um ano.

Ontem, o Instituto Nacional de Estatística divulgou os dados da taxa de desemprego do terceiro trimestre de 2013, dando conta de uma taxa recorde de 15,8%, com o número de desempregados em Portugal a ultrapassar os 870 mil. No trimestre anterior a taxa estava nos 15%.

Notícia actualizada às 12h37

Acrescenta dados sobre profissões mais afectadas pelo desemprego e sobre os motivos de inscrição.


Sugerir correcção