Associação micológica alerta para consequências do consumo de cogumelos silvestres

A associação micológica EcoFungos alertou hoje para as consequências do consumo de cogumelos silvestres, que podem provocar a morte, realçando que só devem ser ingeridos após o seu correcto despiste.

“A EcoFungos alerta que o consumo de cogumelos silvestres pode provocar a morte, ou consequências futuras de insuficiência renal ou hepática. Pode provocar gastroenterites graves e desidratações igualmente graves. Não arrisque”, refere a associação num esclarecimento sobre a ingestão de cogumelos silvestres tóxicos.

O esclarecimento surge após a morte, no sábado, de um casal de Vila Real por ingestão de cogumelos alegadamente venenosos.

Nesse sentido, a EcoFungos sublinha que o consumo de cogumelos silvestres deve sempre ser efectuado após o correto despiste das espécies que são colhidas, designadamente no momento da colheita na floresta ou em casa, antes de iniciar a preparação e antes de os colocar na panela.

A associação destaca que “só devem ser consumidos cogumelos silvestres que não criem a mínima dúvida sobre a sua comestibilidade”.

A EcoFungos recomenda que devem ser observadas todas as características da espécie recolhida, como o chapéu, a parte inferior, o pé, além de ser necessário particular cuidado no momento da apanha para não danificar algumas características importantes na fase de despiste.

“Os cogumelos silvestres são excelentes produtos gastronómicos, quando consumidos com toda a segurança, por isso recorra sempre a um especialista se não tiver 100 por cento de certeza na identificação da espécie que pretende consumir”, sustenta a associação micológica.

A EcoFungos diz ainda que, em caso de intoxicação ou de sintomas relacionados com o consumo de cogumelos silvestres, como vómitos, náuseas, diarreia ou mau estar corporal, deve-se contactar de imediato o Centro de Informação Anti Venenos.