Cultura é Resistência surge na sequência das manifestações de 15 de Setembro  Paulo Pimenta
Foto
Cultura é Resistência surge na sequência das manifestações de 15 de Setembro Paulo Pimenta

"Que se lixe a troika!", agora em versão musical

Dead Combo, Deolinda, Camané e Vitorino já confirmaram a presença na “Cultura é Resistência!”. Mais de trinta nomes da música associam-se ao evento do próximo dia 13

Camané, Dead Combo, Deolinda e Vitorino são alguns dos nomes que já confirmaram a presença na iniciativa “Cultura é Resistência!”, a realizar no próximo dia 13, sábado, na Praça de Espanha, em Lisboa.

 

O evento, cuja organização é a mesma das manifestações “Que se lixe a troika”, de 15 de Setembro, utilizará várias formas de expressão artística, tais como música, dança, pintura, poesia e teatro.

 

Na área da música, são mais de trinta os nomes confirmados. Para além dos nomes já referidos, estarão presentes A Naifa, Rádio Macau, Homens da Luta e Manuel João Vieira, entre outros.

 

De acordo com os organizadores, a ideia para este evento surgiu de “um encontro de vontades nascido nas mais recentes mobilizações”. Segundo os mesmos, a manifestação centra-se nas artes e no espectáculo porque “a cultura é imprescindível para a consciência de um povo”.

 

Para os membros do movimento "Que se lixe a troika!", “os profissionais da cultura não são excepção à situação exasperante em que o país e o mundo se encontram actualmente: é imprescindível reagir, é impensável não o fazer”.

 

A expectativa é alta, por parte da organização: “será um marco histórico e cultural, trazendo da rua para a arte e da arte para a rua toda a energia que as percorre”.

 

Esta iniciativa insere-se no protesto Global Noise.

Sugerir correcção