Fotogaleria
Cartaz do evento DR
Fotogaleria
Rui Pires

Ponte Party People: um festival à volta de uma árvore

A quarta edição do festival bracarense conta com 14 concertos, uma mostra de teatro, uma exposição de fotografia e um mercado de artigos em segunda mão. Tudo no próximo sábado

Uma árvore, um rio, uma ponte e uma piscina são os elementos principais que compõem o cenário da quarta edição do festival Ponte Ponte Party People, no Parque da Cidade, em Braga.

Com início às 14 horas de sábado, dia 1 de Setembro, o palco FNAC, situado na piscina do parque, abre o festival com Killimanjaro, Blac Koyote, Crap Boobs Crap, Thomas Priest e Pedro Primo Figueiredo. “Entre mergulhos e mojitos”, o público pode desfrutar de uma série de concertos, durante a tarde, refere João Loureiro, da organização do festival.

A partir das 19h00, a animação passa para o palco “Árvore”, um palco literalmente montado debaixo de uma árvore, com a actuação de Vivax, dos bracarenses Smix Smox Smux, Shivers, The Shine, Nice Weather for Ducks, Memória de Peixe e dos Fufamato (Lovers & Lollypops).

PÚBLICO -
Foto
Os Macaques na edição de 2011 Rui Pires

Para além dos habituais concertos, a edição deste ano conta com uma peça de teatro do colectivo PIF’H, “Plim, Plam, Plum”, um mercado de troca e venda de artigos em segunda mão, o Braga Urban Market (BUM), e uma exposição de fotografia, “Encontros da Imagem”. “Este ano quisemos alargar os horizontes do festival para além dos concertos”, revela João Loureiro.

PÚBLICO -
Foto
Os organizadores, Rui Pires, Marco Carvalho e João Loureiro no local onde é montado o palco Árvore Rui Pires

“Como o Parque da Cidade foi restaurado muito recentemente quisemos aproveitar o máximo de espaço possível”, justifica. Ainda, para quem quiser comer de “faca e garfo”, o restaurante do parque terá um menu low-cost exclusivo para os festivaleiros.

A ideia de organizar o Ponte Party People surgiu em Junho de 2010, numa espécie de “churrascada”, por um grupo de amigos bracarenses (João Loureiro, Tiago Sequeira, Rui Pires e, mais recentemente, Marco Carvalho) “para combater a lacuna cultural bracarense”, explica João Loureiro.

“Nós acompanhámos as obras no parque, que ficou com bom aspecto. Antigamente aquilo era muito mal frequentado”, conta. Mas depois “foi ficando bastante agradável e tivemos uma ideia de fazer uma coisa pequenina, que era uma churrascada no Parque da Ponte”. Desde então, o festival tem-se repetido anualmente em Setembro.

Este ano, com o apoio oficial da Capital Europeia da Juventude, Braga 2012, da Junta de Freguesia de São Lázaro e da Braval, uma empresa de recolha de lixo reciclado. “Vão existir ecopontos e teremos todo o cuidado em manter o Parque da Cidade limpo e arrumado”, reforça João Loureiro.

Desde a “churrascada” ao Ponte Party People, o impacto do festival tem sido positivo. Na opinião do organizador: “Isto tem potencial, as pessoas aderem e o sítio é fantástico“. A entrada é livre e a animação dura até às quatro da madrugada.