Apreendidos no Peru 16.000 cavalos-marinhos secos com destino à Ásia

Cavalos-marinhos apreendidos em Lima
Fotogaleria
Cavalos-marinhos apreendidos em Lima Ernesto Benavides/AFP
Fotogaleria
Enrique Castro-Mendivil/Reuters
Fotogaleria
Ernesto Benavides/AFP

Mais de 16.000 cavalos-marinhos mortos e secos, prestes a ser exportados ilegalmente para a Ásia, foram apreendidos na quinta-feira em Lima, anunciou a polícia peruana.

“Apreendemos 16.280 cavalos-marinhos que se destinavam a ser comercializados ilegalmente no continente asiático”, disse à agência AFP o coronel da polícia contra os crimes ambientais, Victor Fernandez.

A carga, com um peso total de 27,5 quilos, foi encontrada em três caixas durante uma operação policial no bairro de San Miguel, perto do aeroporto internacional de Lima. Os traficantes fugiram e abandonaram a carga ilícita numa rua daquele bairro, segundo informações obtidas pela BBC.

A espécie apreendida é a Hippocampus ingens e está classificada como "Vulnerável" pela Lista Vermelha da União Mundial de Conservação da Natureza (UICN).

Na Ásia - nomeadamente na China, Coreia e Japão – este pequeno animal marinho protegido pela CITES (convenção sobre o comércio internacional das espécies selvagens) é muito procurado pelas suas supostas qualidades medicinais (contra a calvície) ou afrodisíacas. O pó obtido a partir do animal chega aos 6000 dólares por quilo, precisou Victor Fernandez.

A pesca de cavalos-marinhos é totalmente proibida no Peru desde 2004.

Em todo o ano de 2011, as autoridades peruanas apreenderam um total de duas toneladas de cavalos-marinhos que se destinavam à exportação.