Futebol

Sporting de Braga decidirá em Itália futuro na Liga dos Campeões

Ismaily fez o golo do Sporting de Braga
Foto
Ismaily fez o golo do Sporting de Braga Foto: Fernando Veludo/nFactos

A passagem à fase de grupos da Liga dos Campeões vai discutir-se na próxima terça-feira, no Estádio Comunale Friuli, em Udine, onde o Sporting de Braga chega em desvantagem teórica depois de ter sofrido um golo em casa na primeira mão do “play-off”. O apuramento da equipa portuguesa ainda está em aberto, mercê de um remate bem-sucedido do lateral-esquerdo Ismaily, que permitiu o empate a uma bola. O brasileiro contratado à Olhanense foi um dos jogadores do Braga que mais se destacou durante o encontro e acabou premiado com um grande golo, aos 68 minutos, depois de um remate cruzado efectuado a 30 metros da baliza, sem hipóteses para o guarda-redes adversário.

Até ao golo do Braga, o jogo teve uma história que os portugueses já conhecem dos confrontos com equipas de Itália. Domínio territorial dos comandados de José Peseiro, que tiveram mais posse de bola e efectuaram mais remates, mas com a Udinese a espreitar o contra-ataque sempre que podia. E quando o fazia, criava situações de perigo, especialmente através do capitão Di Natale, que aos 34 anos continua a ter muita qualidade. Foi num desses lances, aos 23 minutos, que a equipa visitante chegou ao golo, num livre lateral cobrado por Di Natale para o interior da área, onde Dusan Basta surgiu solto para fazer um cabeceamento vitorioso.

Antes de estar em desvantagem, o Sporting de Braga apenas tinha criado real perigo apenas através de um remate de fora da área de Paulo Vinicius (20’). Mesmo com mais posse de bola, foi de meia distância que os bracarenses continuaram a ter as melhores ocasiões para importunar o guarda-redes Brkic até ao intervalo, sobretudo por intermédio de Hugo Viana, com três remates (30, 40 e 42 minutos) sem efeitos práticos.

No segundo tempo, o Braga foi mais objectivo, sobretudo a partir do momento em que José Peseiro trocou o apagado Hélder Barbosa por Rúben Micael. O médio internacional português deu mais força ao meio-campo, assumindo o desenho do jogo da equipa. Foi ele quem começou a desenhar os principais lances de perigo, solicitando sobretudo as subidas de Alan e do defesa Ismaily.

Mas a forma de jogar da Udinese continuava a criar problemas. Um minuto antes da substituição, Di Natale foi lançado por um companheiro e apareceu isolado frente ao guarda-redes Beto, que com uma saída dos postes resolveu o lance. Aos 61 minutos, os italianos podiam ter acabado com a eliminatória, mas o guarda-redes dos bracarenses fez duas defesas complicadas, negando-lhes o golo. Mais uma vez o lance passou pelo capitão da equipa de Udine, que com um passe largo deixou Basta em boa posição para cruzar para a cabeça de Pinzi. Beto defendeu a primeira tentativa e, na recarga, Di Natale atirou forte para nova intervenção do guardião português.

O Braga era recordado de que não podia desguarnecer a defesa e conseguiu mostrar mais dinâmica nos últimos 25 minutos. A persistência deu frutos com o golo de Ismaily, resultado de um momento de inspiração individual. E o lance também teve o condão de galvanizar o público no estádio minhoto, que tentou empurrar a equipa para o golo do triunfo. A Udinese recuou no terreno e consentiu maiores espaços para que a formação da casa colocasse quase todas as suas unidades no meio-campo ofensivo.

A bola passou a rondar mais vezes a baliza do sérvio Brkic. As melhores oportunidades do Braga surgiram no último quarto de hora do encontro, primeiro por intermédio de Rúben Micael (77’), com um remate de fora da área, e depois através de Lima (81’), num remate cruzado na zona de finalização. Os dois lances tiveram o mesmo destino, tendo sido parados pelo guarda-redes contrário, terminando o jogo com uma igualdade a uma bola.

O futuro do Braga na Liga dos Campeões está agora mais incerto, mas o clube português ainda não deitou a toalha ao chão.


POSITIVO e NEGATIVO

+


Di Natale
Aos 34 anos, o que lhe falta em juventude, sobra-lhe em classe. O avançado internacional italiano fez a assistência para o golo da Udinese e teve um par de boas oportunidades em que podia ter acabado com a eliminatória. Sempre que o Braga se mostrava atrevido, Di Natale criava perigo, como que a pôr o adversário em sentido.

-


Hélder Barbosa
Foi a novidade face ao jogo da Luz, entrando para o lugar de Rúben Amorim. José Peseiro queria que o extremo explorasse a táctica contrária, que deixava o flanco direito desguarnecido, mas não conseguiu ser um perigo. Hélder Barbosa passou ao lado do jogo e acabou substituído aos 58 minutos.
Ficha de jogoSporting de Braga, 1
Udinese, 1

Jogo no Estádio Municipal de Braga.Assistência
Cerca de 10 mil espectadores.

Sp. Braga

Beto; Salino, Douglão, Paulo Vinícius, Ismaily; Custódio, Hugo Viana, Mossoró (Zé Luís, 87’); Alan (Rúben Amorim, 85’), Hélder Barbosa (Rúben Micael, 58’) e Lima.

Treinador

José Peseiro.

Udinese

Brkic; Benatia, Danilo, Domizzi, Pinzi; Williams, Pereyra (Badu, 73’), Basta, Fabbrini (Maicosuel, 72’); Pablo Armero (Pasquale, 85’) e Di Natale.

Treinador

Francesco Guidolin.

Árbitro

Wolfgang Stark, da Alemanha.

Amarelos

Pinzi (13’), Di Natale (21’), Benatia (35’), Lima (50’), Domizzi (75’), Danilo (80’).

Golos

0-1, por Basta, aos 23’; 1-1, por Ismaily, aos 68’.

Notícia actualizada às 22h37
Sugerir correcção