Combate à economia paralela

Restaurantes dizem que é “impensável” passar factura para um café

Restauração é um dos sectores afectados pelas novas regras
Foto
Restauração é um dos sectores afectados pelas novas regras Nuno Oliveira

A Associação de Hotelaria, Restauração e Similares (AHRESP) considera ser “impensável” cumprir com a factura obrigatória na venda de café. Em declarações à TSF, o secretário-geral da associação avisa que haverá “desobediência” às novas regras.

“Estas medidas só são aplicáveis na China, em Porto Rico e em São Paulo. Já estamos falidos e a mandar os trabalhadores para o desemprego e é aqui que o Estado está a perder e a ser prejudicado”, afirmou José Manuel Esteves, secretário-geral da AHRESP em declarações à rádio TSF.

O responsável considera ser impossível cumprir as novas regras relativas à factura obrigatória, dando como exemplo a venda de café, e avisa mesmo que haverá “desobediência” à nova norma, que é “impensável” até “no terceiro mundo”.

O Governo anunciou ontem que passará a ser obrigatório para todos os sectores de actividade a emissão de factura, uma medida destinada a reforçar o combate à economia paralela. A implementação desta regra será feita de forma gradual e faseada pelo que, no primeiro ano (2013), apenas se aplicará aos sectores de manutenção e reparação de automóveis, alojamento, restauração, cabeleireiros e similares.