Mark Zuckerberg vai ganhar um dólar de salário a partir de 2013

Foto
Mark Zuckerberg foi apenas o quinto executivo do Facebook mais bem pago em 2011 Robert Galbraith/Reuters

A directora de operações, Sheryl Sandberg, foi quem mais recebeu em 2011: quase 30,87 milhões de dólares (23,56 milhões de euros). Os prémios por acções contribuem com a maior fatia para este total, com 30,5 milhões de dólares. O restante foi ganho em salários (295.800 mil dólares) e em bónus (85.100 dólares).

Os valores foram divulgados nesta quarta-feira, junto com os documentos apresentados à entidade que regula o mercado bolsista, a Securities and Exchange Commission, para a futura entrada do Facebook na bolsa de valores.

Sheryl Sandberg está na empresa desde Março de 2008 e é a responsável pela abertura do Facebook ao mercado publicitário – e ao lucro. Contratada ao Google, Sheryl é considerada pelos próprios colegas como a “adulta” da direcção. Antes de chegar a Silicon Valley, em 2001, passou pelo Departamento do Tesouro norte-americano e pelo Banco Mundial (ver perfil).

O vice-presidente para a engenharia foi o segundo alto quadro que mais recebeu. Mike Schroepfer auferiu menos seis milhões do que Sheryl: fechou o ano com 24,7 milhões de dólares (18,8 milhões de euros), em prémios, salários e bónus. David Ebersman, o director financeiro, arrecadou 18,68 milhões (14,2 milhões de euros). O vice-presidente Theodore Ullyot, advogado principal, teve um rendimento anual de 7 milhões (5,3 milhões de euros).

Só depois surge Mark Zuckerberg. Apesar de a entrada em bolsa do Facebook poder empurrar o seu presidente executivo para a lista das dez pessoas mais ricas do planeta, o rendimento de Zuckerberg em 2011 não chegou ao milhão e meio de dólares. A parcela das “outras compensações” é a maior, no valor de 783.500 dólares (596 mil euros). Os bónus foram de 220.500 (167.700 euros). Já em salários, ganhou 483.300 dólares (367.600 euros).

Actualmente, o salário de Zuckerberg é o mais elevado da empresa. Mas isso está prestes a mudar. Em 2013, passará a ser de apenas um dólar. É uma decisão simbólica, que foi primeiro tomada no final dos anos 1970 por Lee Iacocca, quando foi chamado para tirar a Chrysler do vermelho. Desde então, muitos outros presidentes executivos de grandes empresas tomaram a mesma decisão. São os casos de Eric Schmidt e Larry Page (Google), Larry Ellison (Oracle) e Meg Whitman (Hewlett-Packard). Steve Jobs (Apple) também recebia um dólar de salário.

A decisão de receber um salário simbólico deve-se aos avultados ganhos que estes executivos esperam ter em acções. Mark Zuckerberg tem 500 mil acções do Facebook, o que corresponde a 28,2% do total antes da entrada da empresa em bolsa. Esta percentagem é ligeiramente inferior à das acções detidas por todos os restantes funcionários da empresa (41%). Ainda assim, Zuckerberg tem a palavra final em votação, uma vez que representa 56,9% dos accionistas.

Fora da empresa, existem sete accionistas de referência: a Accel Partners, sedeada em Palo Alto (11,4%), o fundo de investimento russo Digital Sky Technologies (5,5%), os co-fundadores Dustin Moskowitz (7,6%) e Eduardo Saverin (5%, estimado), Sean Parker, o fundador do Napster que participou no arranque do Facebook (4%, estimado), os clientes da Goldman Sachs (56,3% de acções “Classe A”, sem poder de voto) e a Microsoft (1,3%, estimado).

Sugerir correcção
Comentar