Anfíbio descoberto na Papuásia

O vertebrado mais pequeno de sempre é uma rã

A rã por colocada em cima de uma moeda
Foto
A rã por colocada em cima de uma moeda Austin

O vertebrado mais pequeno de sempre é uma pequena rã que não alcança os oito milímetros de comprimento e vive nas folhas caídas no chão da floresta na Nova Guiné. A rã, chamada Paedophryne amauensis, foi descoberta agora e vem descrita na revista Public Library of Science One, publicada nesta quinta-feira.

“Foi particularmente difícil localizar a Paedophryne amauensis devido ao seu pequenino tamanho e às vocalizações do macho, que são altas, parecida com as dos insectos”, disse Chris Austin, do Museu de Ciência Natural de Luisiana, e líder da equipa. “Mas é uma grande descoberta, a Nova Guiné é um hotspot de biodiversidade, e qualquer coisa nova que nós descobrimos adiciona mais uma camada à compreensão geral de como a biodiversidade é gerada e mantida”, disse em comunicado.

O artigo descreve outra rã nova. Ambas as descobertas foram feitas durante uma missão de três meses à ilha da Nova Guiné. A Paedophryne amauensis tem um tamanho médio de 7,7 milímetros e é ligeiramente mais pequena do que o anterior vertebrado mais pequeno – um peixe indonésio, Paedocypris progenetica, que tem um tamanho médio superior aos oito milímetros.

Estes dois novos anfíbios fazem parte de um género de rãs descoberto recentemente, cujas espécies são pequeninas. O que mostra que esta característica extrema de tamanho reduzido não é uma extravagância biológica.

“Os ecossistemas que estas rãs extremamente pequenas ocupam são muito semelhantes, são as folhas degradadas que estão no chão das florestas tropicais”, explicou Austin. “Acreditamos agora que estas criaturas não são excentricidades biológicas. Representam um espaço ecológico que antes não estava documentado – ocupam um nicho que não está ocupado por nenhum outro vertebrado.”