Trabalhadores da manutenção forçam entrada nas instalações da CP

Foto
A empresa de manutenção do equipamento da CP é detida pela transportadora Foto: Luís Pó/Arquivo

Os ânimos exaltaram-se entre os funcionários e a polícia, quando os manifestantes passaram uma faixa de protesto para entrar no edifício e entregarem um documento reivindicativo à administração.

Segundo a Antena 1, os trabalhadores estavam concentrados à porta das instalações da administração da CP, em Lisboa. Forçando o cordão policial, passaram o portão de entrada das instalações e percorreram rapidamente o pátio que dá acesso à porta de entrada do edifício, gerando-se alguma confusão entre os manifestantes e a polícia, relatou a mesma rádio.

Vítor Pereira, da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações, explicou à agência Lusa que os trabalhadores quiseram entrar nas instalações “não para agredir ou destruir nada”, mas para “demonstrar descontentamento”.

Um sindicalista ouvido pela Antena 1 explicou que a administração já estava avisada de que os trabalhadores iriam hoje à sede da CP entregar um documento reivindicativo. “Não percebo este contingente policial, porque nós estamos aqui como pessoas de bem, defendemos o nosso posto de trabalho, como todos os outros que cá estão”, comentou José Luado, trabalhador da EMEF.

Segundo a porta-voz da CP, Ana Portela, que falou à Lusa, “os trabalhadores tentaram forçar a entrada nas instalações e a polícia tentou impedir”, mas não se verificaram confrontos.

O mesmo sindicalista disse ainda à Antena 1 que a entrada foi forçada para que uma delegação do sindicato pudesse entregar o documento em causa, que, resume, tem em conta as preocupações dos trabalhadores quanto à “supressão de comboios” e às implicações que tal medida terá na empresa de manutenção.