Ambiente

Poluição do ar em Pequim mexe com 155 voos

Trabalhadores no topo de um edifício em construção no centro de Pequim, a 10 de Janeiro
Foto
Trabalhadores no topo de um edifício em construção no centro de Pequim, a 10 de Janeiro David Gray/Reuters

A falta de visibilidade, originada por uma cortina de poluição nos céus de Pequim, obrigou nesta terça-feira a anular ou atrasar 155 voos. Mesmo assim, as autoridades consideram que a qualidade do ar é “boa”.

Ontem, 155 voos com saída ou chegada no aeroporto internacional de Pequim, um dos mais frequentados do mundo, foram anulados ou atrasados.

A embaixada dos Estados Unidos na capital, que calcula de forma independente os níveis da qualidade do ar, indica que a poluição em Pequim ultrapassou na segunda-feira o nível considerado perigoso.

Contudo, o Departamento Ambiental de Pequim qualificou de “boa” a qualidade do ar na cidade. O Centro de Meteorologia nacional disse que a capital estava a ser afectada por “nevoeiro” que reduziu a visibilidade a 200 metros em algumas zonas.

Na semana passada, as autoridades de Pequim anunciaram que vão começar a publicar dados sobre as PM2,5 (partículas finas com diâmetro inferior a 2,5 micrómetros), que podem penetrar nas vias respiratórias; de momento só o faz para as PM10.

Além das várias centrais térmicas a carvão, a poluição em Pequim é alimentada pelas indústrias nos arredores e pela circulação de automóveis. No ano passado, as ruas da capital registaram mais 240.000 carros, juntando-se aos cinco milhões já existentes.

Sugerir correcção