Indústria entra em recuo

Comércio a retalho continua em forte queda

Foto
Foto: Nuno Oliveira

O índice de volume de negócios no comércio a retalho caiu 2,6% em Novembro face a Outubro, ajustado dos efeitos de sazonalidade e de calendário, o que colocou a taxa de variação homóloga em -9,2%, segundo dados divulgados hoje pelo INE.

O recuo mensal do mês passado foi o terceiro consecutivo, depois de quedas de 4,6% em Setembro e 3,0% em Outubro. Desde Janeiro, houve cinco meses de subidas em cadeia e seis meses de quedas.

Desde o início do ano que o volume de negócios no comércio está em queda homóloga, que em Outubro tinha sido de 9,7%. No mês passado foi ligeiramente inferior, com um recuo substancialmente maior nos produtos não alimentares (-12,5%) do que nos alimentares (-5,7%), ambas também menos pronunciadas do que em Outubro.

Os índices de emprego, do número de horas trabalhadas ajustadas dos efeitos de calendário e das remunerações, apresentaram taxas de variação homóloga de -4,5%, de -4,9% e de -2,9%, respectivamente.

O INE divulgou também hoje o índice de produção industrial relativo a Novembro, que apresentou uma variação homóloga de -2,1%. Em Outubro, tinha sido ainda positiva, de 0,4%. A secção das indústrias transformadoras apresentou uma variação homóloga de -1,8%(-2,6% no mês anterior).

O recuo de Novembro resulta de uma queda de 9,1% nos bens de consumo, cuja subida de 27,3% dos os bens de investimento não conseguiu compensar.