Acordo na União Europeia

Armadores de pesca industrial contentes com aumento de quotas

Foto
Foto: Fernando Veludo (arquivo)

O presidente da Associação de Armadores de Pesca Industrial (ADAPI) considerou hoje “muito positivo” o aumento das quotas de pesca para Portugal, assinalando que no início das negociações com a Comissão Europeia a situação parecia “dramática”.

Em declarações à agência Lusa, Miguel Cunha frisou que o resultado final das negociações resulta numa “situação mais confortável”, assinalando que se conseguiu “reverter uma situação que parecia dramática”.

Miguel Cunha indicou que o acordo final corrige “algumas barbaridades”, como a “redução em 93 por cento da quota de verdinho baseado num parecer científico errado, que a Comissão agora reconheceu e repôs”.

“Falta agora ver quem se responsabiliza pela perda de cerca de três milhões de euros que isto significou”, apontou.

O responsável da ADAPI destacou também como positivo a maneira como mudou a “abordagem ao plano de recuperação da pescada”, que “sacrificava a frota de pesca ibérica” e passa agora a abranger só as embarcações dedicadas à pesca desta espécie.

Miguel Cunha ressalvou que ainda há pontos negativos na proposta da Comissão, como a redução em nove por cento da quota de pesca da raia, que faz prever que “no próximo ano a quota acabe antes do final do ano”.

Açores consideram acordo “bom”

O Governo Regional dos Açores considera que o acordo sobre pescas hoje alcançado em Bruxelas é um “bom” para o arquipélago, perspectivando uma boa campanha dos tunídeos nas águas das ilhas no próximo ano.

Em declarações à Lusa, o subsecretário regional das Pescas, Marcelo Pamplona, destacou o facto de o acordo acerca dos totais admissíveis de capturas para 2012 a que chegaram os ministros das Pescas da União Europeia hoje de madrugada prever o aumento da quota do patudo nos mares das ilhas em 22 por cento.

Isso significa que em 2012 os atuneiros açorianos poderão capturar até 6000 toneladas de uma espécie valorizada no mercado, quando este ano a quota foi de 5000 toneladas.

Marcelo Pamplona considerou também positivo para a Região que os ministros das Pescas da UE tenham decidido manter fora do regime de quotas uma outra espécie de tunídeos importante para a frota açoriana e para a indústria conserveira regional, o bonito.

Em termos globais, Portugal saiu hoje das negociações sobre as possibilidades de pesca para 2012 com um aumento nas quotas de areeiro (9%), biqueirão (10%), pescada (15%), tamboril (110%), verdinho (875% em águas territoriais e 531% no sul da Bretanha e Golfo da Biscaia).