Ministro da Economia garante que 2012 irá marcar o fim da crise

Foto
Rui Gaudêncio (arquivo)

Numa audição no Parlamento no âmbito da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado (OE) de 2012, Álvaro Santos Pereira garantiu que “2012 irá certamente marcar o ano de fim da crise”, salientando que será o início da “retoma por crescimento gradual de 2013/2014”.

O impacto da austeridade, dos aumentos de impostos e dos cortes nos subsídios de férias e natal de pensionistas e funcionários públicos vai empurrar a economia para uma recessão mais forte no próximo ano. Nas previsões do Governo, a contracção do PIB chegará aos 2,8%, enquanto a Comissão Europeia prevê uma quebra de 3%. A retoma é esperada em 2013.

Para Álvaro Santos Pereira, 2012 será um “ano determinante para a economia portuguesa, em que serão concretizadas muitas das medidas que temos tomado e que estamos a ultimar”. O ministro reforçou a necessidade de alcançar rapidamente três objectivos: reformar a legislação laboral, facilitar a contratação e melhorar a qualificação dos portugueses.