G20

Sarkozy: paraísos fiscais serão banidos da comunidade internacional

Foto
Charles Platiau/Reuters

O presidente francês Nicolas Sarkozy assegurou hoje no final da cimeira do G20 que os países com paraísos fiscais que constem de uma lista que vais ser publicada, serão “banidos da comunidade internacional”.

“Não queremos paraísos fiscais. A mensagem é clara: (...) os países que acolhem paraísos fiscais que encubram informação financeira serão banidos da comunidade internacional”, declarou Sarkozy, cujo país preside actualmente ao G20.

“Antigua e Barbuda, Barbados, Botswana, Brunei, Panamá, Seychelles, Trinidad e Tobago, Uruguai e Vanuatu não adoptaram um quadro jurídico adaptado à troca de informações fiscais”, revelou, acrescentando que “a Suíça e o Liechtenstein ainda não se qualificaram” entre os países que adoptaram este quadro.

O presidente francês precisou que o G20 procederá, em cada uma das suas cimeiras, a uma “publicação sistemática da lista dos países que não fazem o que é preciso para abandonar um comportamento inadmissível”.

“Não estamos dispostos a tolerar isto”, insistiu Sarkozy, lembrando que há três anos ameaçou abandonar a sala (do encontro do G20, em Londres) se não fosse publicada uma lista das jurisdições não colaborantes.

“O mundo já não é igual. Existem 11 paraísos fiscais, mas existiam várias dezenas quando começámos, em Londres”, acrescentou.